11
Mai 18

A primeira versão da última proposta de Revisão Orçamental de 2017 teve, como na altura foi conhecido, o voto contra da CDU.

Depois do voto contra da CDU, pelas posições tomadas pelo Presidente da Câmara, ficou logo a saber-se de que se tratou de um golpe de baixa política de José Manuel Ribeiro/PS, já que no dia seguinte era distribuído em Alfena um comunicado do PS a acusar a CDU de o não deixar governar.

Só depois de o PS lançar o comunicado e de recusar todas as propostas de procura de um entendimento, (mesmo as que foram sugeridas pelos seus colegas vereadores do PS) é que veio à procura da CDU para conversar e fazer um acordo.

A CDU, que nunca se recusou à discussão na busca de soluções, desde logo se disponibilizou para discutir com o PS na busca de uma solução para uma Revisão Orçamental que respeitasse a sua opinião, uma vez que o então Vereador da CDU também tinha sido eleito como o foi José Manuel Ribeiro.

E não foi difícil chegar a um acordo que respeitasse ambas as partes.

Entre várias questões, a CDU propôs a inclusão de uma verba de 100 mil Euros para que fosse iniciado o processo de construção de um novo edifício para a Junta de Freguesia de Alfena, proposta que foi aceite pelo Presidente da Câmara e, por isso mesmo, a CDU, como de costume, princípio e tradição, respeitou o compromisso, cumprindo com o que acordou com José Manuel Ribeiro e o PS, viabilizando a Revisão Orçamental em causa.

A verba de 100 mil Euros do Orçamento de 2017 não foi gasta e, por isso, deveria transitar para o ano seguinte, mas não apareceu no Orçamento de 2018.

Questionado na Assembleia Municipal sobre o desaparecimento de tal verba, José Manuel Ribeiro deu uma resposta que deixa ficar muitas preocupações e define com rigor as suas opções políticas de fuga para a frente.

Disse o Presidente da Câmara que apenas incluiu em 2017 aquela verba para depois a retirar em 2018, porque tinha cedido à chantagem da CDU.

Aqui fica a resposta de quem se afirma coerente, firme, respeitador de compromissos com a população e que tantas vezes afirma que não rasga acordos, nem cede a chantagens.

Esta resposta no presente, deve ser tida em conta em futuros entendimentos. Seja com quem quer que seja, a palavra do Presidente da Câmara de Valongo vale o que vale e, por atitudes como esta, fica provado de que não vale nada, porque é um Presidente sem palavra e que não cumpre com os compromissos com a população.

 

 

Valongo, 10 de maio de 2018

A CDU – Coligação Democrática Unitária / Valongo

.: cduvalongo às 08:34

ELEITOS
Assembleia Municipal
Campo & Sobrado
Ermesinde
Valongo
pesquisar neste blog
 
Maio 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31