Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

Intervenção da CDU sobre o Orçamento para 2016 da CMV

20.11.15

Senhor Presidente

O que mais me motivou a elaborar esta minha intervenção, foi sem dúvida, a intervenção que o sr fez na inauguração da sede da Associação das Colectividades do Concelho de Valongo.

O senhor foi politicamente desonesto.

Mas à parte isso, o senhor foi teimoso.

Mas foi propositadamente teimoso e porquê?

Não aceitou alterar o Orçamento na anterior reunião para o efeito, para se vitimizar nos jornais.

Mas depois de passar nos jornais, já alterou o Orçamento para que hoje fosse aprovado.

Quantos documentos é que não foram retirados da Ordem do Dia, para uma apresentação posterior e melhor definição e apresentação?Quantos? Ainda nas ultimas duas reuniões isso aconteceu

Ainda há cerca de dois meses, no processo de reequilibrio financeiro da Concessão/Privatização dos SMAES com o nosso voto contra, o senhor retirou a proposta que apresentou, para incluir sugestões do PSD e incluiu-as.

Mas depois da inclusão das sugestões do PSD, nós mantivemos o nosso voto contra e porquê?

Porque somos contra a privatização do Serviço de Águas e Saneamento; e assim sendo, não nos conformamos com pequenos remendos para assim legitimar a Concessão/Privatização; foi por isso que votamos contra.

E essa negociação foi aprovada com os votos do PS e PSD, ou da coligação PS-PSD contra a CDU?

É que quando lhe interessa e há uma convergência de voto entre CDU-PSD, o senhor vem logo classificar de coligação PSD-CDU.

E quantas e quantas vezes, há uma convergência de voto entre o PS e o PSD, contra o voto da CDU?Quantas? E isso não é coligação PS-PSD?

O senhor foi teimoso

É verdade que quando há um teimoso, nunca há um teimoso só; tem que haver alguém que teime com o teimoso e por isso é teimoso também.

É ao presidente que compete construir e apresentar o Orçamento, para que seja aprovado e o senhor não conseguiu construi-lo para aquela reunião.

O senhor não soube ou não quis, construir um Orçamento que tivesse em conta a opinião das outras forças politicas.

O senhor não tem maioria absoluta mas faz de conta que a tem.

Deu provas de que só saberá governar se tiver maioria absoluta e por isso, não aceita, nem respeita, a votação que a população deu à CDU.

Falta-lhe a si, a humildade de reconhecer, que o povo do Concelho de Valongo, optou por não dar maioria absoluta a ninguém, porque conhece bem o resultado nocivo dessas maiorias absolutas.

Mas o senhor não se convence.

Não se convence e por isso construiu o Orçamento olhando apenas para o seu umbigo.

O senhor vitimiza-se dizendo que foi eleito e não o deixam governar.

E eu digo, que o senhor não aceita que eu tenha sido eleito e que tenha direito a ter uma opinião diferente da sua.

 O Dr Fernando Melo, foi presidente desta Câmara durante 5 mandatos, 3 dos quais com maioria absoluta. Depois da terceira  maioria absoluta, ganhou na mesma as eleições para a Câmara, mas sem maioria absoluta.

E como não ganhou com maioria absoluta, não gostou; e como não gostou, não respeitou os resultados eleitorais e foi-se embora a meio do mandato, demonstrando que só sabia governar com maioria absoluta. Foi uma opção dele.

Neste capitulo, não vejo diferença nenhuma, entre o comportamento do Dr Fernando Melo e o comportamento do  Dr José Manuel Ribeiro, porque este também, não consegue aceitar que o povo não lhe tenha dado uma maioria absoluta; Não sabe conviver com isto.

Só lhe faltou fugir. A não ser que ainda o faça.

Os motivos que levaram a CDU e o PSD a votar contra, são completa e profundamente divergentes.

Aquilo que o PSD propôs, foram pequenissimos arranjos ao Orçamento, perfeitamente comportáveis, como o senhor garantiu com palavras suas, uma vez que afirmou que as iria respeitar.

Por isso senhor Presidente. Eram pequenos remendos numa manta que já está toda rôta, segundo palavras suas, tantas e tantas vezes proferidas.

Os motivos principais que levaram a CDU a votar contra, são os de que é preciso uma ruptura no caminho desta politica, que o senhor na oposição contestava, mas que chegado ao poder, no essencial prosseguiu.

Uma ruptura impossivel no imediato que reconheçemos, mas que nos dê ao menos um sinal, que nos transmita que estamos a preparar o caminho da sua reversão, no que concerne concretamente às concessões/privatizações; das refeições Escolares, da água e da recolha do lixo principalmente.

Portanto, não é de pequenos remendos que é preciso, mas sim de uma ruptura neste caminho e o senhor conhece bem a nossa posição.

Mais olhos para o problema da habitação social.

Reversão do caminho das concessões/privatizações, foi isso que lhe transmitimos quando nos quis ouvir.

O senhor espalha aos quatro ventos que não tinha Orçamento e por isso a Câmara poderia ser ingovernavel em 2016.

Só lhe faltou espalhar, que sem o Orçamento para 2016 aprovado, os funcionários do Municipio vão ter de ficar na rua, porque nem para abrir as portas o senhor tem autorização de utilizar as chaves.

É mentira senhor Presidente. O senhor tem o Orçamento deste ano que se mantem em vigor.

E se o senhor considera que tem no Orçamento para 2015, as verbas possiveis e razoaveis; continua a manter para 2016, essas verbas com o  mesmo Orçamento embora a funcionar por duodécimos e com a possibilidade de o alterar com uma revisão orçamental.

Quero recordar-lhe se lhe falta a memória, que em dez meses do ano de 2015, foram feitas 11 Revisões Orçamentais, o que dá uma média superior a uma Revisão mensal.

O senhor tem tendência para o chantagismo. Veja-se o alarido que o senhor espalhou, por causa do contrato com o Dr Ricardo Bexiga: Aqui del Rei, que se não fosse como o senhor queria, passado um Mês, iamos deixar de ter serviços Juridicos na Câmara.

Mas não foi como o senhor queria.

E como não foi como o senhor queria, já lá vão cerca de nove meses e o senhor não mais voltou com o assunto a reunião de Câmara.

Nem passa pela cabeça aos valonguenses, que estamos há nove meses sem gabinete Juridico e que o Dr Ricardo Bexiga está sem receber seis mil euros por mês, há nove meses. (por acaso)

Eu repito; os motivos que levaram a CDU e o PSD a votar contra o Orçamento, são completa e profundamente divergentes.

Se quiser o nosso voto a favor, dê a volta à situação e dê-nos nem que seja um pequeno sinal, de que vai mudar o rumo que com as gestões do PS e PSD, reafirmo, do PS e PSD, com ou sem maiorias absolutas, levaram o concelho quase à bancarrota; e aí sim, conte connosco.

Reafirmo e concluo senhor Presidente: os motivos que levaram e levam a CDU a votar contra, não se tratam de motivos que tenham a ver com tachos atribuidos ou a atribuir.

Porque toda a gente sabe, o que foi oferecido à CDU logo no inicio do mandato e que nós não aceitamos.

Por isso, da parte da CDU e porque no essencial tudo se mantem, também é mantido o noso sentido de voto.

Votaremos contra Sr Presidente.

E votaremos contra, porque estamos convictos que só será desta maneira, que tentaremos forçar quem governa a Câmara, a garantir para o concelho, aquilo que é nosso e que tem sido vendido aos pedaços.