Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

Funcionários da delegação de Alfena da Chronopost em greve

31.07.15

 

Notícia do Jornal O Verdadeiro Olhar:

 

Funcionários da delegação de Alfena da Chronopost estão em greve desde as zero horas de quarta-feira. Segundo o Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações, dos 110 funcionários da empresa, 75 aderiram à greve e manifestaram-se na manhã desta quinta-feira frente às instalações da empresa.

São vários os motivos que levaram ao pré-aviso de greve de 48 horas que agora se concretizou. Paulo Silva, dirigente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações, em declarações ao VERDADEIRO OLHAR, explicou que na base da contestação está a solicitação dos funcionários à empresa para que passe a incluir, para efeito de cálculo dos subsídios de férias e de Natal, as prestações complementares, como o trabalho suplementar e o trabalho nocturno. Os funcionários pretendem ainda que a Chronopost assuma o acréscimo dos encargos do transporte de cada um dos trabalhadores até à sede da empresa em Alfena, desde que esta se deslocalizou em pouco mais de quatro quilómetros. Ambas as reivindicações, frisa Paulo Silva, decorrem da legislação em vigor e que, diz, não está a ser cumprida. Estas são questões legais que já motivaram queixa na Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT). Finalmente, os trabalhadores querem que a empresa volte a remunerar o trabalho suplementar pela tabela que vigorava antes de Agosto de 2012, em que a primeira hora de trabalho suplementar era pago a 50 por cento e a segunda a 75 por cento. Actualmente, são pagos a metade da respectiva percentagem. Apesar de admitir que estes são os valores que constam do Código de Trabalho, Paulo Sila ressalva que “nada obriga a empresa a pagar estes valores”, frisando que que é o trabalho suplementar que compõe mensalmente o ordenado da maioria dos funcionários, cuja remuneração ronda os 603 euros.

Paulo Silva explica que tem sido desenvolvido um processo de negociações com a entidade patronal, mas não tem surtido resultados. O sindicato vai agora reunir novamente com os trabalhadores para encetar novas formas de luta, sendo certo que depois desta greve local deverá haver uma jornada de luta nacional.

O VERDADEIRO OLHAR tentou contactar a administração da Chronopost mas tal não foi possível em tempo útil.

Esta quarta-feira, durante a manhã, esteve no local uma delegação da CDU. Adriano Ribeiro, vereador da CDU na Câmara de Valongo, explicou ao nosso jornal que estiveram junto dos funcionários em solidariedade para com as suas reivindicações.

 

20150729_070701.jpg