Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

JFE - Novo Cemitério em Ermesinde

08.05.08

A situação de ruptura do Cemitério n.º1 levou a que, numa anterior reunião, o Executivo estipulasse um prazo para que se voltasse a permitir a realização de enterros naquele cemitério.

A não garantia de que em 5 anos se consiga repor a normalidade no Cemitério n.º1 e o crescimento das inumações no Cemitério n.º2 levou a que todos os partidos referissem a necessidade de construção de um novo cemitério para Ermesinde.

Perante estes factos, o Sr. Presidente enviou um pedido à CMV a solicitar a indicação de um terreno para a construção do Cemitério n.º3, que incluiria várias valências, como, por exemplo, um crematório.

A posição do Sr. Presidente da Junta foi bem recebida pela CDU. Concordamos inteiramente com a sua proposta e achamos pertinente o envio do pedido acima mencionado à CMV.

Quando nos informou deste pedido, o Sr. Presidente referiu que a resposta do Presidente da CMV foi um convite para que fosse visitar um cemitério “modelo” que seria inaugurado, por essa altura, em Elvas. Estranhámos o facto, mas não adivinhávamos o porquê deste estranho convite.

Só mais tarde compreendemos.

O cemitério “modelo” apontado pelo Presidente da CMV é composto por quatro salas de velórios, cafetaria, lojas, forno crematório e tem um sistema informático para a localização de campas. O seu único problema é que é de gestão privada com concessão por 20 anos e, por exemplo, para uma cremação que em Lisboa custa cerca de 59€ é cobrada em Elvas a taxa de 195€.

O negócio dos cemitérios, que até ao momento é uma importante fonte de receitas da Junta, está a aliciar grandes grupos económicos. Desculpando-se com argumentos como a falta de verbas existente nas Câmaras ou a urgência das obras (e de complementares arranjos urbanísticos), alguns Presidentes de Câmara optam por ceder a construção e gestão de cemitérios a privados, em claro prejuízo dos interesses das populações e, a médio e longo prazo, em prejuízo do próprio município.

Neste momento, ainda não é urgente a construção do novo cemitério, apenas necessita a CMV de salvaguardar um terreno onde este possa ser implantado. Propomos, porém, desde já, que o Executivo da Junta de Ermesinde aprove uma carta para enviar ao Presidente da CMV onde diga que não está interessado neste tipo de gestão para o futuro cemitério n.º 3.

 

Ermesinde, 7 de Maio de 2008

A Coligação Democrática Unitária



A proposta não foi aceite.
O PS considera não existir qualquer problema na concessão à gestão privada do novo cemitério. Apenas pretende que a CMV salvaguarde o terreno. Não é de estranhar, se até concordam com a privatização da água...
O PSD ficou de questionar a CMV sobre as suas intenções.