Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

JFE - Tomada de Posição - Centro de Saúde Alfena/Ermesinde

02.08.07

O crescimento acentuado da população do concelho de Valongo ao longo das últimas décadas não tem sido acompanhado por um correspondente crescimento da capacidade e recursos das unidades de saúde concelhias. Os Centros de Saúde são, na maior parte dos casos, unidades obsoletas e completamente desajustadas face às necessidades das populações e às respostas que diariamente lhes são exigidas.

Na sequência da visita de uma delegação da CDU/Valongo ao Centro de Saúde de Ermesinde, ocorrida a 20 de Setembro de 2005, tivemos oportunidade de ouvir o Director desta instituição referir que a unidade de Alfena tinha, à época, cerca de 13 mil utentes, todos com médico de família, e que a unidade de Ermesinde tinha perto de 48 mil utentes, dos quais 27% (cerca de 13 mil) não possuíam médico de família

Em Junho de 2006, numa visita dos deputados do PCP na Assembleia da República eleitos pelo círculo do Porto, Jorge machado e Honório Novo, constatou-se que os números se mantinham em Ermesinde e que, em Alfena, o número de utentes sem médico de família havia aumentado significativamente, atingindo cerca de 10% do total de utentes (à volta de 1 300).

O novo Centro de Saúde de Ermesinde/Alfena, cujo concurso público foi lançado em Diário da Republica a 26 de Abril de 2006, e cuja localização programada é a zona da Bela, entre Ermesinde e Alfena, servirá estas duas freguesias do concelho de Valongo. De acordo com a Direcção da Unidade de Saúde de Ermesinde, a população de Alfena terá de se deslocar para a nova valência, uma vez que o actual Centro de Saúde será fechado, por não apresentar condições de trabalho e de atendimento aos utentes adequadas. A extensão da Gandra (Ermesinde) manter-se-á aberta. Prevê-se que o novo Centro de Saúde venha a servir 25 mil utentes. Ao serem deslocados para lá os utentes de Alfena (mais de 13 mil), o novo edifício apenas poderá acolher uma quantidade adicional de 12 mil utentes transferidos da extensão da Gandra, o que significa que esta continuará a abranger um total de 36 mil utilizadores. Com o fecho da actual unidade de saúde de Alfena, questionamo-nos seriamente sobre se não existirá o risco de manutenção da sobrelotação das unidades de saúde das duas freguesias e sobre se não seria preferível, para além da nova unidade de saúde, reestruturar, remodelar e reequipar a extensão de saúde de Alfena actualmente em funcionamento (tanto mais que esta freguesia tem vindo a assistir a um crescimento urbano e demográfico intenso nos últimos anos).

Em 4 de Maio de 2006, veiculando informação da Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN), o Jornal de Notícias noticiava o arranque da construção da nova unidade de saúde para o Verão desse ano. Porém, como se pode verificar, as obras não arrancaram; perto da data prevista de término da obra, ainda começam-se a verificar timidas movimentações na área prevista para a construção do equipamento. No passado dia 30 de Julho, o mesmo órgão de comunicação social referia-se ao Centro de Saúde de Alfena como estando “esgotado”, e voltava a lembrar o vasto conjunto de problemas que afecta a situação da saúde no nosso concelho. É fundamental, por isso, que os poderes públicos locais façam pressão junto dos órgãos competentes para que esta importante obra avance o mais rapidamente possível.

Com a previsão de entrada em funcionamento do novo Centro de Saúde para o próximo ano, é igualmente urgente encetar esforços para que as acessibilidades ao equipamento sejam optimizadas. Para tal, é necessário que a CMV e as Juntas de Alfena e Ermesinde iniciem conversações com a STCP, no sentido de sensibilizar a empresa de transportes para a necessidade de contemplar na sua rede a nova unidade de saúde. A CDU sugere, desde já, que pelo menos a carreira 704 seja prolongada, virando para o centro da zona da Bela um pouco mais à frente do que hoje faz; deste modo, o acesso ao novo Centro de Saúde será facilitado.

Perante estas questões, dúvidas e necessidades de intervenção, o presidente da Junta, com assento no Conselho Consultivo dos Centros de Saúde, deve assumir as suas responsabilidades, intervindo activamente junto das entidades responsáveis, ajudando a solucionar os problemas e pressionando para que, desta vez, os prazos para a construção do novo Centro de Saúde sejam cumpridos.

 

Ermesinde, 1 de Agosto de 2007

 

A Coligação Democrática Unitária