Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

Reunião da Junta da Freguesia de Ermesinde - Proposta - Campanha de sensibilização ambiental

05.10.06

Cidade com cerca de 40 mil habitantes, Ermesinde confronta-se hoje com importantes desafios no que ao ambiente urbano e qualidade de vida concerne. O princípio de desenvolvimento sustentável que hoje deve nortear a intervenção política e os modos de "fazer cidade" não se coaduna com estratégias assentes na célebre dupla "betão e cimento" que durante tanto tempo caracterizou - e, infelizmente, continua a caracterizar - a actuação de muitas autarquias, designadamente no concelho de Valongo, com os resultados que todos conhecemos.

O desafio da qualificação ambiental e da melhoria das condições de vida da população ganha ainda mais acuidade se pensarmos que Ermesinde é uma cidade jovem e de jovens: porque assim é, há que garantir, desde já, a elevação da qualidade do ambiente urbano, para que as gerações vindouras possam criar uma mais forte ligação à cidade e possam, elas próprias, prosseguir o trabalho agora iniciado.

Pouco, porém, tem sido feito neste domínio. De facto, aquilo a que se tem assistido é antes a uma degradação da qualidade do ambiente urbano de Ermesinde e a uma generalizada desqualificação dos seus (poucos) espaços verdes.

A CDU tem alertado - aqui e noutras instâncias - para diversos exemplos do que acabámos de afirmar. Veja-se, por exemplo, a situação do Rio Leça e respectiva envolvente, já aqui denunciada. Ou o desaparecimento - com fins imobiliários e especulativos - de diversos terrenos agrícolas ou florestais da freguesia, como tem acontecido, por exemplo, na zona das Saibreiras ou nos Montes da Costa. Ou a situação deplorável da limpeza de muitas ruas, inclusive de ruas alvo de intervenção recente de requalificação. Ou ainda a existência de locais na freguesia que mais parecem deposito de entulho ou lixeiras a céu aberto, como os que aqui denunciámos.

Os responsáveis políticos da freguesia e do Município acenarão, possivelmente, com o Programa Polis e com as seus objectivos de requalificação do ambiente urbano de Ermesinde. Mas, na verdade, o que ficou desse Programa, senão algumas ruas arranjadas e um punhado de declarações de intenção?

Olhando à nossa volta verificamos que muitos Ermesindenses ainda continuam a ter atitudes antigas, como as de deitar lixo para o chão, colocar o lixo fora de casa antes da hora apropriada, depositar entulhos na via pública, etc... Hoje em dia, as campanha existentes não tentam sensibilizar a população para o abandono destas praticas, mas sim para um “nível acima”.

Cremos ser responsabilidade da Junta de Freguesia tomar este problema em suas mãos e avançar no sentido da promoção de iniciativas que possam contribuir para uma mudança de atitude política e cívica e para a efectiva promoção da qualidade ambiental da cidade, aproveitando exemplos de boas práticas e o know how de projectos como o do Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental (CMIA) instalado na Vila Beatriz, criado na sequência do Programa Polis.

Neste sentido, propõe a CDU o lançamento de uma campanha de sensibilização ambiental destinada a potenciar, especialmente entre os mais jovens, atitudes e comportamentos compatíveis com a protecção do ambiente urbano e com a sua requalificação. O público-alvo será a população em geral, mas a campanha incidirá primordialmente nos públicos escolares.

A referida campanha deverá assentar num lema e numa imagem forte e deverá ter uma duração correspondente a, pelo menos, um ano lectivo, de forma a poder percorrer as escolas e outros espaços públicos da cidade e a criar familiaridade com a população. O objectivo deverá ser o de promover - em estreita articulação com o CMIA, aproveitando o trabalho desenvolvido aquando do Programa Polis, e com as forças vivas da cidade, incluindo, naturalmente, "A Voz de Ermesinde", importante veículo de divulgação dos objectivos da campanha - um programa de actividades diversificado que, entre outras iniciativas, contemple acções de sensibilização ambiental, visitas a locais a requalificar ou a preservar da cidade, uma exposição fotográfica itinerante e acções de envolvimento da população na defesa da qualidade ambiental da cidade.

Pensamos que uma campanha deste tipo pode configurar a "lufada de ar fresco" de que Ermesinde tanto precisa, na medida em que permitirá a promoção da elevação da qualidade ambiental e de vida da cidade e, simultaneamente, contribuirá para a consolidação das relações da população com o seu local de residência, já não entendido como mero local de passagem ou "dormitório".

Plano para a Concretização da Campanha (Proposta)

  1. Calendarização das iniciativas;
  2. Escolha de um Lema (por exemplo: “Ermesinde – É bom cá viver!”);
  3. Recolher imagens (por exemplo através de um concurso) dos pontos “fracos” da cidade. Posteriormente, estas imagens irão compor uma exposição itinerante;
  4. Escolher dentro das fotos apresentadas, fotos para compor cartazes. Estes seriam espalhados pelas escolas e colocados em alguns pontos estratégicos de Ermesinde;
  5. Promover, junto das escolas, um plano de visita de estudo que incluiria a visita: ao Ecocentro, à Lipor, à Etar e a alguns pontos “fracos” da cidade.
  6. Publicar nos jornais locais, na página da Internet e nos jornais nacionais informações sobre a campanha.
  7. Articular com o jornal local a inclusão de publicidade à campanha.


Ermesinde, 4 de Setembro de 2006

A CDU


A proposta acolheu o agrado de todos os elementos do executivo. A sua discussão foi agendada para a próxima reunião pública.


2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Aurora 09.10.2006

    Estas campanhas, como todos os actos educativos, têm de ser continuadas no tempo. Persistentes. E é essa persistência em coisas úteis que falta a esta gente conservadora, quando não reaccionária. Porque a persistência na asneira eles cultivam...
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.