Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

Nota sobre os resultados das eleições autárquicas de 9 de Outubro de 2005 no concelho de Valongo

27.10.05
1. A Coligação Democrática Unitária – CDU – apresentou-se às recentes eleições autárquicas com um conjunto de candidatos, tanto para a Câmara, como para a Assembleia Municipal e Assembleias de Freguesia, integrando um número notável de gente nova, tanto na idade como nas suas ligações à CDU. Na composição das listas para os diversos órgãos autárquicos, procurou-se obter um equilíbrio entre os elementos mais experientes nas lides da política local e os que agora chegam pela primeira vez aos órgãos autárquicos. Os programas que propusemos ao eleitorado como base para a eleição dos nossos candidatos, procuraram contemplar as mais sentidas necessidades da população, incidindo acentuadamente em questões sociais, como a habitação, a saúde, o ambiente e a educação.

2. A CDU obteve 2857 votos para a Câmara Municipal. O aumento de 510 votos relativamente a 2001 não foi suficiente para eleger um vereador, como era seu objectivo. Para a Assembleia Municipal a coligação obteve 3533 votos, com um ganho de 709 votos, elegendo Sofia de Freitas e José Caetano para aquele órgão.

3. Alfena é a freguesia onde a CDU alcançou o seu pior resultado, não conseguindo eleger nenhum representante para a Assembleia de freguesia. A este resultado não é estranho o facto de se ter apresentado a estas eleições uma lista de independentes, que, a avaliar pelos resultados, terá congregado as simpatias de franjas de eleitorado diversas.

4. Em Campo, a CDU aumentou a sua representação na Assembleia de Freguesia de 2 para 3 membros, registando, com mais 400 votos que em 2001, a maior subida percentual em todo o concelho.

5. Ermesinde regista um aumento de 420 votos em relação às eleições de 2001. Sónia Sousa foi assim, eleita para a Assembleia de Freguesia, ficando o 2º elemento da lista a cerca de 100 votos da eleição.

6. A freguesia de Valongo regista também um aumento da votação. No entanto, não conseguiu – por apenas 1 voto – eleger para a Assembleia de freguesia o professor César Ferreira, cabeça de lista que a CDU apresentou ao eleitorado da freguesia sede de concelho.

7. Em Sobrado, a CDU obteve também um aumento da sua votação, elegendo para a Assembleia de Freguesia o cabeça de lista Guilhermino Silva. É de salientar que é a primeira vez em vários mandatos que a CDU elege um representante nesta freguesia.

8. O Secretariado da CC de Valongo do PCP considera que a derrota do PS, que se propôs como objectivo afastar da Câmara a maioria PSD/CDS, não deixou de ser também reflexo da política acentuadamente de direita prosseguida pelo PS no Governo, de contínuo ataque aos interesses do mundo do trabalho, da juventude trabalhadora e estudantil e dos reformados, que arrasta o país para uma crise cada vez mais profunda. São exemplos a manutenção do Código Laboral imposto pela maioria PSD/PP e dos seus mais gravosos aspectos, o ataque à Função Pública e aos Professores, com a intenção de lançar trabalhadores contra trabalhadores, o continuar com a privatização dos hospitais, do ensino, da água – recentemente a maioria PS/PSD/CDS votou na Assembleia da República uma Lei da Água que abre caminho à privatização até dos rios - e de outros sectores que ainda se mantêm sob controlo público, bem como do desmantelamento das bases da economia produtiva do país, em todos os sectores –agricultura, pescas e indústria.
Sob o Governo de Sócrates, a crise aprofunda-se e afecta a maioria das classes trabalhadoras, com especial incidência no operariado industrial, ao mesmo tempo que aumentam os lucros e as indecorosas fortunas da minoria que domina e explora o país.
Apesar disso, o PS obteve mais um vereador na Câmara, o que também aumenta as suas responsabilidades na autarquia e lhe limita as bases para prosseguir a política, ora de terra queimada, ora de mais ou menos aberta colaboração com a maioria PSD/CDS, em assuntos tão gravosos para a população como foram a privatização da água ou a instalação de parcómetros nas duas cidades do concelho – a privatização da rua.

9. A quebra de votação na lista encabeçada pelo Dr. Fernando Melo e a perda da maioria de votos para a Assembleia Municipal registada pelo PSD são, a nosso ver, reflexo da política anti-popular, que a coligação assumidamente de direita tem prosseguido na Câmara Municipal e de que se destacam os escandalosos aumentos do preço da água, resultado da privatização dos SMAES, a instalação de parcómetros, o negligenciar das escolas a cargo do município, o desprezo a que são votados os bairros camarários, a continuada falta de políticas de planeamento urbanístico, que entregou o concelho à especulação imobiliária, a delapidação do património ambiental do concelho (solos agrícolas, rios, floresta), o fracasso de projectos megalómanos como o da Nova Valongo, etc. As obras, muitas delas de fachada ou de alcance reduzido, feitas e inauguradas em cima das eleições, não escondem as inúmeras carências que a todos os níveis afectam o concelho, acima em parte enumeradas.

10. Os eleitos da CDU, apesar da sua situação de força minoritária nos diversos órgãos do poder autárquico, continuarão no mandato que agora vai iniciar-se, a orientar a sua acção pela defesa dos interesses das populações, apresentando propostas e apoiando todos os projectos e soluções que possam resultar em benefício das classes trabalhadoras e da população em geral. Da mesma forma, os eleitos da CDU continuarão a opor-se a todas as medidas do poder autárquico que, como as que acima foram enumeradas, contribuam para agravar as condições de vida e o bem-estar das populações.


Ermesinde, 12 de Outubro de 2005

O Secretariado da Comissão Concelhia de Valongo do PC

8 comentários

Comentar post