Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

Plano de Actividades da Junta de Ermesinde é a verdadeira pobreza franciscana

14.12.05
A reunião da Junta de Ermesinde do passado dia 07 de Dezembro foi aberta ao público e decorreu com alguns incidentes.

Começou calmamente com as intervenções do público, que questionou o presidente sobre os parquímetros, os prédios do parque, a feira e a fraca limpeza das ruas.

Relativamente, aos prédios do parque, o Presidente da Junta informou os presentes que estes se destinam a um ginásio. Não sabe se esse ginásio será privado ou público, isto é, se servirá a população ou se encherá os bolsos de alguém.

No que concerne à limpeza das ruas, os presentes foram informados que a câmara está a estudar propostas de várias empresas, com vista à melhoria deste serviço. Apenas não referiu que foi este o serviço contratado por esta câmara, quando privatizou a limpeza das ruas. É caso para reflectir no que poderá vir a acontecer com a água (bem privatizado pela Câmara por 36 anos).

Também a associação Ágoarte interveio para mostrar o seu descontentamento relativamente à discussão da última reunião sobre a atribuição de um subsídio a esta associação (ver artigo referente à reunião do dia 3/11). O representante desta associação não gostou das “mentiras” referidas pelo elemento do PS, Artur Costa. Este último defendeu-se, alegando que não mentiu e que até poderia provar o que dizia.
Alcina Meireles aproveitou a sua intervenção para mostrar a necessidade de construção de uma nova escola. Referiu que esta ainda não foi construída por falta de espaço. Artur Costa aproveitou para dizer que não tinha dito que “achava não ser precisa a escola”, referiu que neste blog se mentia (naquele dia para este senhor todos mentiam) e que fazia parte de um partido onde podia expressar a sua opinião. Não sei o que quereria este senhor dizer com isto, será que ele acha que no PCP e nos Verdes não se podem também dizer asneiras….

Nessa altura, interveio também a nossa eleita para apresentar a proposta do conselho consultivo da cidade, e uma proposta sobre a construção de um passeio (ver artigos anteriores). Referiu que estava satisfeita por ter entendido mal a opinião de Artur Costa sobre a escola, pois desta forma, estando todos os presentes unidos poderíamos conseguir que este processo avançasse. Referiu também que esperava não se ter equivocado sobre a opinião do PS acerca do Conselho Consultivo, salientou que achava negativo que elementos da junta tivessem medo de ouvir a população.

Seguidamente, passou-se à discussão dos pedidos de atribuição de subsídios a associações de país e escolas.

Após este ponto “apenas” faltava discutir o orçamento e o plano de actividades para 2006.

Não querendo massacrar-vos com uma descrição muito detalhada, podemos referir que foi um verdadeiro terror a discussão, discutiu-se a palavra reestruturação, discutiu-se uma série de valores calculados através de uma fórmula matemática, mas discutir actividades que fossem desenvolvidas para a população, isso é que não deu… O PSD acha que acabar o edifício já chega, o PS acha que … também chega, pois ideias para novas iniciativas para quem já anda nisto há muitos anos é difícil… Os idosos vão ser contemplados com uma viagem anual, as crianças e adolescentes com a colónia balnear, depois temos as comemorações do 25 de Abril e do Dia da cidade (por proposta da CDU) e… já chega, “não temos dinheiro”. Nós completávamos a frase: não temos dinheiro, nem criatividade para pensar em novas iniciativas.

Por acharmos que o orçamento era o possível, mas que o plano de actividades era duma verdadeira pobreza franciscana abstivemo-nos e fizemos a seguinte declaração de voto:

Ermesinde, 7 de Dezembro de 2005

Os aspectos que consideramos positivos no orçamento são os seguintes:

  • Algumas das nossas propostas foram incluídas no plano de actividades;
  • O orçamento é suficientemente aberto para que se possam desenvolver iniciativas que melhorem a qualidade de vida dos Ermesindenses. Iniciativas que devem visar a transformação de Ermesinde de uma cidade para dormir numa cidade para viver.
  • Na primeira revisão do orçamento poderemos desenvolver mais alguns pontos.
  • Sabemos que, tendo em conta a verba disponível, este é o orçamento possível.


Apesar do orçamento permitir o desenvolvimento de actividades em prol das populações, consideramos que:
  • Nos outros elementos do executivo vemos muita resistência à mudança.
  • O plano de actividades mostra uma enorme falta de iniciativa, de confiança, um espírito comodista e até mesmo uma grande falta de coragem para arriscar e fazer mais.



2 comentários

Comentar post