Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

Visita dos candidatos da CDU à Associação Académica e Cultural de Ermesinde (AACE)

10.07.13

No passado dia 3 de Julho de 2013, uma representação da CDU visitou a AACE com o objectivo de conhecer o panorama a nível cultural na freguesia de Ermesinde, onde esteve reunida com a direcção dessa associação, na qual foram abordados alguns assuntos relacionados com a actividade da instituição, os serviços e valências prestadas.

A visita guiada pelos diferentes espaços onde são desenvolvidas as oito actividades culturais, desde o orfeão, a escola de música e a escola de dança, o coral juvenil “Arco-Íris”, o grupo de música tradicional Portuguesa, o grupo de teatro “Casca de Nós” e o grupo “Voz ligeira”, bem como o de Fado, permitiu constatar que apesar das condições não serem as ideais, o esforço e empenho de todos aqueles que promovem a cultura na freguesia tem possibilitado que esta associação possa crescer e desenvolver as suas actividades de forma regular nas diversas actuações programadas ao longo do ano, sendo o reflexo da vivência e convívio saudável dos mais de 180 elementos que participam. Na subsequente reunião realizada com a direcção, foi possível conhecer melhor a realidade da associação, o modo de funcionamento das diferentes secções, em que cada uma é dirigida por um dos elementos da direcção em conjunto com o respectivo coordenador técnico que supervisiona todo o processo, com o intuito de serem auto-suficientes nos diferentes níveis. No entender do presidente da AACE, Sr. Alberto Mateus, só desta forma é que é possível atribuir responsabilidades e partilhar a gestão de uma associação com fundos limitados, em que a manutenção do equilíbrio financeiro das várias secções é vital para a sua própria sobrevivência, devendo ainda conseguir recolher alguns dividendos para que se possa investir na melhoria das instalações actuais. O presidente da direcção referiu que apesar das diversas actividades desenvolvidas ao longo do ano e tendo em conta o planeamento atempado das mesmas, estranha que por parte dos órgãos autárquicos não haja um respeito pelo trabalho desenvolvido pelas associações do concelho, não existindo um critério bem definido na atribuição de subsídios e apoios prestados. Referiu que o próprio protocolo estabelecido com a autarquia para a obtenção de um subsídio de 2500€ tem sofrido alterações em termos do número de exibições que a associação tem que cumprir, mas esse acrescento do total de actividades promovidas não tem retorno em termos de compensação financeira. No decorrer da reunião, foi-nos apresentada uma maqueta para a construção de uma sede, mas que face à realidade actual da associação não será viável a sua concretização, por um lado, porque não existe fundos suficientes para a sua construção e, por outro, porque o espaço previsto seria pequeno para as actuais necessidades da associação.