Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

Intervenção de Adriano Ribeiro, candidato a Presidente da Câmara

23.04.13

 

Amigos e Camaradas:
Em primeiro lugar, quero deixar um agradecimento especial a todos aqueles que responderam ao apelo da CDU para participar, num domingo de manhã, no acto de apresentação dos candidatos à Assembleia Municipal e Câmara Municipal e, em nome da Organização Concelhia do PCP, estender o meu agradecimento a quem nos ajudou a promover esta iniciativa.
Hoje, iniciamos uma nova fase da nossa já longa caminhada, ao apresentarmos publicamente os cabeças de lista municipais em Valongo, que dão a cara por uma força que está ao lado do povo - a CDU - Coligação Democrática Unitária.
A partir deste momento e com objectivos claros definidos, daremos os passos seguintes necessários para a constituição da restante equipa a apresentar aos munícipes, de modo a fazer frente aos enormes obstáculos, a começar pela gigantesca montanha de problemas com que o Município se vê confrontado, nomeadamente a sua catastrófica situação financeira.
A ausência de um vereador da CDU na Câmara de Valongo ao longo dos últimos dezasseis anos, traduziu-se, em largos prejuízos para o Município.
A quebra da ligação importante e dos resultados positivos obtidos pelo trabalho desenvolvido no Pelouro da Cultura e Desporto de aquando da assunção de responsabilidade pela CDU, que vinha sendo mantida com os respectivos sectores, é hoje em dia reconhecida pelos mesmos, como uma imensa saudade.
O Pelouro da Higiene e Limpeza, também outrora da responsabilidade da CDU, é hoje nos nossos dias, depois da sua privatização, um dos principais responsáveis pelo buraco financeiro aberto pela gestão dos diversos executivos comandados pelo PSD/CDS, sem que isso se traduzisse em melhores serviços prestados à população.
A entrega dos SMAES a uma empresa privada, foi uma das negociatas mais ruinosas para o município e apesar dos prejuízos actualmente conhecidos, a venda realizada das acções da concessionária a uma nova entidade que anuncia intenções de aumentar os seus lucros, faz recair as consequências negativas, nos trabalhadores da empresa e nos consumidores de água do concelho de Valongo.
A privatização dos parquímetros foi anunciada sob a bandeira da participação do Município em determinada percentagem dos lucros a arrecadar.
Mas não levou muito tempo a saber-se que, a tão badalada participação na percentagem de lucros a obter desta privatização, foi transformada num prejuízo de cem mil euros anuais, numa informação arrancada a muito custo à coligação PSD/CDS. Para agravar mais esta situação, após uma auditoria efectuada sobre este assunto e recentemente divulgada, o valor desse prejuízo foi aumentado para o dobro, ou seja, para os duzentos mil euros.
Se for eleito, seguirei a orientação de sempre da CDU, que é a de defender os interesses dos munícipes e propor a reversão dos serviços concessionados para a tutela da câmara.
Todos os resultados negativos que o concelho apresenta, foram o culminar de uma ruinosa gestão PSD/CDS, que ao longo dos mandatos que exerceu com maioria absoluta não se preocupou com o bem-estar da sua população, tendo sido penalizada ao perder essa maioria absoluta nas últimas eleições autárquicas de 2009.
No entanto, apesar de possuírem presentemente apenas uma maioria relativa, não podemos esquecer o tapete que lhes foi quase sempre estendido pelo PS, partido que se apresentou como sendo o partido da oposição, mas que com as suas questiúnculas internas, lutas de poder e a política de duas faces, acabou por beneficiar o infractor.
Pois, apesar de no início de cada mandato, apresentarem um rosto como o líder da oposição, a meio do mesmo mandato, já não se sabia se esse rosto pretensamente oposicionista, representava a facção A ou B, ou se era o principal rosto de oposição ao próprio Partido Socialista que o propusera, em vez de combaterem a política de desastre por todos conhecida e como era seu dever.
Do resultado dessas desavenças, surgiu no concelho através de uma lista independente, a promessa de uma oposição combativa e, segundo se dizia, em alternativa aos partidos tradicionais.
Não foi preciso muito tempo para se perceber, que a tão propalada alternativa prometida e anunciada em campanha eleitoral, não passou de simples promessa e que na realidade transformou-se, isso sim, num combate interno e politicamente fratricida, ao ponto de presentemente já não se saber se os eleitos que conseguiram eleger, representam a facção dos fundadores ou da futura comissão liquidatária do movimento.
Tais factos indesmentíveis só vêm dar razão à CDU, quando afirmamos que a CDU faz falta na Câmara.
Amigos e Camaradas:
Um concelho com cinco freguesias ao longo de quase toda a sua história, uma vez que no início da sua criação, a freguesia de Gandra, hoje pertencente ao concelho de Paredes, também fazia parte, está na eminência de ficar reduzido. O governo do PSD/CDS prepara-se para extinguir duas delas, Campo e Sobrado, dando origem a apenas uma, atribuindo-lhe o nome de União das Freguesias respectivas.
Continuamos a acreditar e a ter esperança, que o povo português tenha capacidade e vontade em derrubar este governo e com essa atitude ser possível a anulação desta tenebrosa lei, que traz consigo tão graves consequências para uma grande parte do povo português, em concreto para as populações das freguesias de Campo e Sobrado.
No entanto, há muita gente que nos interroga sobre se isso algum dia será possível.
A esses, nós temos respondido e continuamos a responder.
Para mantermos acesa a nossa confiança, que no futuro esta lei seja anulada e volte tudo ao princípio, bastaria haver por parte do Partido Socialista uma simples palavra nesse sentido, se por hipótese, como admitimos, nas próximas eleições nacionais o PS as viesse a ganhar.
Mas eu convido daqui os camaradas e amigos, a dizerem se alguma vez ouviram o Partido Socialista a pronunciar-se nesse sentido.
Não ouviram, camaradas!
Mas isso é uma táctica que se vai tornando cada vez mais conhecida e para a qual temos que estar mais atentos e preparados de modo a denunciar e desmascarar o seu discurso.
O que cada vez mais acontece é isto: localmente, para melhor dar nas vistas, as organizações do PS e do PSD, são capazes de estar a favor das propostas da CDU, contra as medidas aplicadas centralmente pelos seus governos, medidas essas que prejudicam gravemente a população.
No entanto, nos locais de decisão, isto é, no Governo ou na Assembleia da República, esses mesmos partidos votam e decidem precisamente o contrário daquilo que dizem ao povo localmente.
Lembremo-nos das palavras dos dirigentes concelhios de Valongo do PSD, a propósito da lei de extinção das freguesias de Campo e Sobrado. Estão contra, porque até apresentaram providências cautelares e participaram em iniciativas de contestação, mas no fundo, tudo o que fazem é para nos tentar fazer esquecer que a responsabilidade de tudo isto é do seu governo, o governo do PSD/CDS, porque é este governo que quer acabar com as freguesias de Campo e Sobrado.
O mesmo se poderia dizer do Partido Socialista sobre este e outros assuntos, como é o caso da aplicação do pagamento das portagens nas antigas SCUT, uma vez que também votaram a favor das nossas propostas na Assembleia Municipal, mas no governo, tiveram um comportamento semelhante ao PSD, aprovando a aplicação das respectivas portagens.
Amigos e Camaradas:
Durante o exercício dos últimos mandatos, fizemos várias visitas aos bairros sociais.
Das conversas que efectuamos com os moradores desses bairros, e foram muitos os que nos franquearam as suas portas, apercebemo-nos dos vários problemas existentes nas suas habitações, na sua maioria e entre vários outros, problemas de humidades e infiltrações de águas pluviais.
A entidade com responsabilidade de dar resposta a estes problemas, é a Câmara, através da empresa municipal por si criada, a Vallis Habita.
Mas o que é curioso e atinge níveis do inaceitável é que a Vallis Habita, enquanto os bairros apresentam, nalguns casos, um estado lastimoso, a empresa municipal, de que é presidente o actual Presidente da Câmara Municipal apresenta resultados financeiros positivos!
Resultados financeiros positivos e porquê?
Porque a Vallis Habita, limita-se praticamente a gerir e a receber as rendas e nem um prego prega nas habitações, limitando-se a efectuar uma limpeza ligeira quando as mesmas são desocupadas, desresponsabilizando-se por qualquer outra intervenção.
Não temos actualmente nenhum Vereador na Câmara de Valongo, o que dificulta imenso, momento a momento, o conhecimento real dos problemas que vão aparecendo noticiados nas páginas da comunicação social, ou por força dos requerimentos que vamos apresentando, ou tomando conhecimento no âmbito do mandato que exercemos na Assembleia Municipal.
Tivemos ao longo do actual mandato apenas um eleito na Assembleia Municipal, que isolado, sem a importante e necessária ligação ao executivo, tinha que correr quase sempre atrás do prejuízo, ou seja, ser colocado numa situação de conhecimento do facto consumado.
Amigos e Camaradas:
Por aquilo que lutamos e defendemos, merecemos ter uma representação na Câmara de Valongo!
Se eu for eleito, tudo farei para que assim se justifique.
E é perante esta situação que é necessário contornar que vos quero fazer um apelo: a CDU confiou-me a honrosa tarefa de candidato a Presidente da Câmara de Valongo. Encaro-a com uma enorme responsabilidade, mas também com o maior orgulho do mundo. Ajudem-me a conseguir atingir os objectivos da CDU.
Viva o Povo de Valongo!
Viva a CDU !
A CDU avança, com toda a confiança!