Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

Balanço - AF de Ermesinde

01.05.21

Ao longo deste mandato tem a CDU, em todas as sessões, alertado este executivo de maioria absoluta para vários problemas que a Cidade padece e que urge resolver. Aquando da discussão dos Planos e Orçamentos temos também apresentado alterações a estes documentos. Quer num caso como no outro o Partido Socialista nunca acolheu as recomendações da CDU.

Aproveitamos hoje, e uma vez que estamos a pouco meses de fim de mandato, para numa base mais exaustiva e de balanço recordar a este executivo dos problemas que não foram resolvidos e que deviam merecer a melhor atenção, deste executivo bem como do executivo municipal.

Mobilidade, transportes e arruamentos:

Durante este mandato, a CDU questionou o presidente da junta sobre as obras do alargamento da A4. Questionamos quanto aos nós de entrada e saída e qual a solução encontrada. As respostas que fomos recebendo eram sempre as mesmas, não sabemos, mas que tudo apontava que o problema se iria manter. Nunca ouvimos quer do executivo da junta ou do município um protesto para a solução encontrada.

Tudo aponta para a continuação caótica da ligação entre a cidade de Ermesinde e a Cidade do Porto.

Também tudo aponta, que a população de Ermesinde vai ser duplamente penalizada com esta obra. Segundo as noticias, este troço hoje em obras, vai ser portajado.

Estão os senhores presidentes da Junta e da CMV em condições de descansar as populações e garantir que estas noticias não tem fundamento?

O transito no eixo central da Cidade continua caótico e com perspetivas de piorar. Continua a construção desenfreada na zona das escolas, com a construção de mais habitação e supermercados.

Como é notório os pavimentos das principais artérias estruturantes foram voltados ao desleixo. Rua Ribeiro Teles, Rua 5 de Outubro, Rua Ermesinde Sport Clube, Rua da Marginal, Rua da Igreja, entre outras - todas estão num estado degradante e sem intervenção.

Para demonstrar a falta de rigor e planeamento da mobilidade automóvel, veja-se a implementação dos semáforos na rua Manuel Joaquim F. dos Santos. Há um ano que começaram as obras, e, já lá vão 6 meses depois da obra pronta e os semáforos continuam a não funcionar. Questionamos mais que uma vez o senhor presidente da junta e a resposta foi sempre a mesma, “nunca fui questionado sobre a mais-valia desta obra e o problema do funcionamento segundo o vereador do pelouro é da responsabilidade da EDP”.

Requalificação dos terrenos da Feira e do Mercado.

Este mandato é que iria ser! mas o problema continua sem solução, e as promessas, estas abundam. Os comerciantes continuam as pagar os seus impostos e taxas e a população abandona o comércio local e procura as grandes superfícies.

Mais um ano, mais um mandato e a requalificação destes equipamentos não sai da gaveta.

Parque de Lazer da antiga SOCER

Todos nos lembramos quando há 8 anos o atual presidente da Câmara de Valongo, depois de uma conferência pomposa prometeu esta obra. Requalificação do rio Leça bem com a construção de vários equipamentos.

Passaram dois mandatos e a obra não passa de um “arremesso” - alguma intervenção no rio e pouco mais. O próprio equipamento já existente degrada-se por falta de manutenção.

A intervenção nas margens do rio, embora seja acompanhada por painéis explicativos levantam algumas dúvidas. Os materiais e a técnica aplicada não nos parecem que tenham uma sustentação perene.

Embora seja notória uma melhoria na qualidade da água e da fauna do rio, somos de opinião que o rio que atravessa Ermesinde não pode ficar confinado à sua intervenção só neste local. Há mais rio para além da SOCER.

Queremos aproveitar a ocasião para questionar o senhor presidente da junta de uma situação que foi observado mais que uma vez - a descarga das águas da ETAR para o rio, quanto à sua cor e seu odor levanta-nos algumas dúvidas.

Gostaríamos de ter acesso à monotorização e análises da água que é descarregada, bem como à qualidade da água do rio nesse local -  principalmente na última quinzena de março.

Não sabemos se é normal as Águas de Valongo enviar estes resultados, à junta ou à câmara - se não, gostaríamos que a junta solicitasse esses relatórios e os facultasse a esta assembleia.   

Cinema de Ermesinde

Foi com pompa e circunstância que o senhor presidente da câmara na presença do executivo desta junta e, na escadaria do antigo cinema anunciou que ia avançar para aquisição do edifício. Passado alguns dias a entidade proprietária do edifício desmentiu-o e esclareceu que nunca tinha sido contatado para o efeito. Aguardamos mais um capitulo deste jogo de sombras e apelamos aos responsáveis que urge resolver este problema.

Limpeza urbana e recolha do lixo

É verdade que a varredura depois de muita e justa critica, melhorou, mas as ervas continuam sem solução. Não basta aplicar o ervecida, da qual duvidamos da sua aplicação, mas é preciso proceder ao corte a ao arranque das mesmas e não deixar apodrecer as ervas sem proceder à sua recolha.

A recolha do lixo continua na sua degradação total. A cidade de Ermesinde à segunda-feira é um espetáculo degradante com o lixo amontoado junto aos contentores. Ao domingo não há recolha do lixo e o lixo fica amontoado até á noite de segunda-feira.

Será que é muito difícil alterar a recolha do lixo na segunda-feira passando a recolha noturna a ser feita logo de manhã?

 Jardins e zonas verdes

A cidade de Ermesinde no que diz respeito a jardins e zonas verdes continua restrita à parte central. A prometida criação de outras zonas verdes nunca passou disso mesmo, promessas.

Era da mais elementar justiça que as zonas limítrofes da cidade tivessem outra atenção dos responsáveis da junta e do município.

 

Em conclusão

Senhor presidente da Junta de Freguesia de Ermesinde, sabemos todos, que a maioria da solução destes problemas são da responsabilidade municipal e do seu presidente, José Manuel Ribeiro e, alguns, do poder central.

José Manuel Ribeiro, diz que anda a prestar contas, se anda, no que diz respeito a Ermesinde essas contas, não condizem com a realidade, nem com as promessas.

Senhor Presidente da Junta, o senhor também tem que prestar contas. Não porque alguns dos problemas que a cidade padece sejam diretamente da sua responsabilidade, mas sim, por omissão.

Também não é com a inscrição de 20 mil euros anuais no Plano de Investimento no Orçamento da Junta, que alguns problemas da Cidade se resolvem.

Mas, gostaríamos de ver o presidente da junta, na assembleia municipal ao qual tem assento, a ter um espirito reivindicativo para a nossa cidade.  

Gostaríamos também de ter um Presidente de Junta de Freguesia, que publicamente fosse o porta-voz, junto do Edil de Valongo das justas reivindicações da população de Ermesinde.

Gostaríamos que em matéria de cultura, este executivo da Junta de Ermesinde, encetasse todos os esforços com as forças viva da Cidade e, desse um novo paradigma cultural a Ermesinde.

A pandemia não pode ter explicação para tudo, antes pelo contrário, muitas obras podiam ser feitas sem grandes constrangimentos para a população.

Preferiu-se a propaganda e a qualidade de vida de Ermesinde foi mais uma vez esquecida.

Ermesinde, continua a perder identidade e foi subjugada aos interesses políticos e propagandísticos do Edil de Valongo, José Manuel Ribeiro.