Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

AM - Intervenção - Afinal quem rasga contratos?

26.02.15

Sr. Presidente da Câmara, esta é a primeira sessão com período antes da ordem do dia, após a sua intervenção, onde insinuou que a CDU era um partido menor, associando esta força politica a regimes totalitários, onde são permitidos os rasgos de contratos.

A CDU compreende que na altura o disse no calor da discussão, porque estava incomodado com a intervenção da CDU. Imaginamos que o incomode que lhe seja apontado o dedo da mesma forma que fazia quando era oposição. A situação caricata de não ser a vereadora da Câmara a apresentar o orçamento/plano de atividades da Vallishabita, mas sim um deputado da AM, irritou-o e por isso a sua reação desmesurada, que o levou a esquecer que a CDU é poder em várias Câmaras deste pais, com gestões responsáveis que têm sempre um único propósito: o bem estar das populações. Nessas Câmara, não se rasgam contratos, mas tudo se faz em benefício das populações. Sabe quem é que em Valongo rasga contratos:

Quem promete que a 1º coisa a fazer quando ganhasse a Câmara era uma auditória às contas e depois não o faz.

Quem na oposição anuncia um montão de processos a ser apresentados no tribunal administrativo, e sobre os quais agora nada se sabe.

Quem promete a renegociação do contrato do SMAES e não avança.

Quem promete às associações do concelho a resolução de problemas, como por exemplo à Associação das coletividades do concelho de Valongo que afirmou merecer instalações com mais dignidade, e agora nada é feito.

Quem pretendia que a Camara tivesse uma atitude transparente e que transmitisse às populações que está a ser gerida por gente que apenas se importa com o bem comum, e que depois inicia processos muito questionáveis, como a contratação de altos dirigente políticos para assessoria jurídica.

Quem promete aos trabalhadores da Camara a reposição do horário de trabalho para as 35 horas, assina acordos com o sindicato e depois rasga-os, passando às 40 horas.

Quem promete ser diferente, mudar Valongo, e afinal faz o mesmo que o seu antecessor fazia.

E essa é a diferença, para a CDU os contratos que nunca podem ser rasgados, são aqueles que se fazem com as populações.

Os eleitos da Coligação Democrática Unitária

AM - Proposta de recomendação - Segurança rodoviária nas vias EN15 e EN209

26.02.15

A segurança rodoviária, a fluidez do trânsito urbano e a qualidade das ligações entre as freguesias de Valongo e com os concelhos limítrofes representam a base para a promoção do desenvolvimento harmonioso e permitem impulsionar as atividades económicas do concelho. O município deve estar atento aos anseios da sua população, prestando um serviço adequado e exemplar, com uma intervenção cuidada para que sejam mantidos os padrões de qualidade e segurança nas vias percorridas quer por veículos quer por peões.

A situação existente em determinadas vias de falta de limpeza das bermas, assim como da inexistência de passeios ou outro espaço destinado para a circulação de peões em estradas tão movimentadas, como são os casos da EN15 e EN209, que atravessam a Freguesia de Campo e Sobrado, impedem a circulação em segurança de pessoas que ficam sujeitos a diversos perigos. Esta questão é de tal forma recorrente, tendo sido já abordada em Assembleias Municipais anteriores e em Assembleias de Freguesia de Campo e Sobrado, mas o problema ainda se mantém.

As respostas vêm sempre no sentido de atirar as culpas para outras entidades, como as Estradas de Portugal, no entanto o que foi feito pelos responsáveis locais? Quais foram as diligências realizadas para a solução do problema?

Todos nós sabemos que quem está fechado num gabinete não se apercebe da realidade das situações e precisa de ser alertado para atuar. Por isso, é preciso que haja uma intervenção mais enérgica na defesa do bem comum, por parte de quem gere os destinos de uma autarquia, de modo a termos uma população melhor servida.

A Assembleia Municipal reunida em 25 de fevereiro recomenda à Câmara Municipal de Valongo que pressione as entidades responsáveis no sentido de serem criadas condições para uma circulação com segurança nas vias EN15 e EN209, que atravessam a Freguesia de Campo e Sobrado.

Desta moção, após aprovação, deverá ser enviada cópia a EP – Estradas de Portugal, S.A., à Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) e aos grupos parlamentares da Assembleia da República.

 

25 de fevereiro de 2015

A CDU – Coligação Democrática Unitária / Valongo

Candidatura da Bugiada e Mouriscada a Património Imaterial da Humanidade da UNESCO

26.02.15

A festa da Bugiada e Mouriscada de Sobrado é reconhecida por todos como sendo uma festa única e ímpar, à qual Rodney Gallop (diplomata e etnógrafo inglês) denomina “Um dos mais notáveis rituais que sobrevivem na Europa moderna.”

A candidatura da Festa de São João do Sobrado a integrar a lista representativa do património cultural imaterial da humanidade reconhecido pela UNESCO foi uma proposta bem acolhida pela comunidade Sobradense, que se associou à iniciativa e ficou esperançada que esta manifestação popular ancestral fosse melhor compreendida e conhecida.

Após vários recuos e avanços na preparação da candidatura, foi anunciado em janeiro de 2014 pelo Sr. Presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, que a mesma seria apresentada em março desse ano. Já passou um ano desde este anúncio e o que se verifica é que o processo se encontra parado, não existindo previsão concreta para a sua concretização.

Ao longo do último ano foram referidas determinadas razões que condicionaram a sua entrega, sendo apontado o mês de março de 2015 para a sua formalização. Ora, estamos a 25 de fevereiro e julgamos que este assunto seja novamente referido para que se conheça, na realidade, em que ponto se encontra o processo e se de facto será que é desta vez que a candidatura será oficialmente apresentada.

 

25 de fevereiro de 2015

A CDU – Coligação Democrática Unitária / Valongo

 

O Presidente da Câmara respondeu que não estava em condições de garantir que fosse feita a candidatura este ano (até final de março).

Saudação à Banda Musical de S. Martinho de Campo

26.02.15

No próximo domingo, dia 1 de Março, a Banda Musical de S. Martinho de Campo vai inaugurar a sua nova Sede Social.

Uma das mais antigas Associações do Concelho de Valongo, nascida nos longínquos anos vinte do século passado (1929), a Banda Musical de S. Martinho de Campo vê assim realizado um sonho. 

Nele, estiveram envolvidos todos os elementos da Banda Musical, com destaque para todas as suas Direções, assim como diversos autarcas, não esquecendo o papel fundamental desempenhado pela Assembleia Municipal de Valongo.

A Assembleia Municipal de Valongo, reunida em Campo, a 25 de Fevereiro de 2015, aprova um voto de louvor a todos aqueles que com o seu empenho contribuíram para a concretização deste sonho, com o desejo de que com este importante passo, a Banda Musical de S. Martinho de Campo dê continuidade ao seu trabalho de mais de oito décadas e consiga  no futuro os  sucessos  a  que  sempre aspirou.

 

Assembleia Municipal de Valongo reunida em 25 de Fevereiro na Freguesia de Campo.

 

Os Eleitos da CDU

AM - Sporting Clube de Campo

26.02.15

 

A Câmara de Valongo assumiu publicamente no anterior mandato, as obras referentes ao alargamento do parque de jogos. A comprovar isso mesmo, ainda lá está uma placa informativa em nome da Câmara Municipal.

Já neste mandato, apareceram por lá uns empreiteiros que realizaram umas obras e foram reclamar ao clube o pagamento das mesmas.

Não sabemos se é verdade ou não, mas consta por aí, que há ameaças de penhora das instalações do Clube, pela parte desses empreiteiros.

Sabemos sim, que foi feita em Agosto passado, (2014)  uma reunião entre a Direcção do Clube e o Senhor Vereador do Desporto para solucionar alguns dos problemas existentes e que carecem do apoio camarário.

Apesar do compromisso em tentar encontrar soluções para alguns desses problemas, desde então, já lá vão 6 meses, não foi dada qualquer resposta à Direcção do Clube.

A pergunta que colocamos é a seguinte: Quando prevê a Câmara Municipal de Valongo reunir com a Direção do Clube e partir para o esclarecimento destas questões, permitindo que o Sporting Clube de Campo deixe de viver em constante e permanente sobressalto?

25 de Fevereiro  2015

CDU Valongo

AM - Centro de Saúde de Campo e Alfena

26.02.15

A avaliação da situação das instalações dos centros de saúde de Campo e de Alfena, unidades que funcionam em instalações provisórias há largos anos, tem sido ao longo dos tempos realizada e dela surge sempre as mesmas conclusões: as condições físicas dos centros são precárias e carecem de uma solução a curto prazo.

Note-se que, em ambos os casos, existem protocolos entre as autarquias que implicaram a cedência de terrenos ao Ministério da Saúde para a construção de novas instalações, desfecho que continua sem se verificar.

No caso de Campo, foi assinado um protocolo entre a Junta de Campo, Câmara de Valongo e Ministério da Saúde, então representado pelo Secretário de Estado Manuel Pizarro, em Agosto de 2010. Na referida cerimónia, o Secretário de Estado da Saúde informou que as obras iriam arrancar no 1º semestre de 2011 e que o novo centro de saúde seria inaugurado em 2012.

No caso de Alfena, foi assinado um protocolo entre a Câmara de Valongo e o Ministério da Saúde, através da Administração Regional de Saúde do Norte, em Agosto de 2011. 

Se a situação física dos edifícios são preocupantes e careciam de uma rápida resposta, agora a situação ainda mais se agravou, já que para a população de Campo, restou um Centro de Saúde com instalações indignas e ficou limitada, depois o fecho das urgências no Hospital de Valongo, a ter de recorrer ao Hospital de S. João após as 20h.

Entretanto foi criada uma Comissão de Acompanhamento do encerramento das urgências, em novembro tinham ocorrido duas reuniões da mesma, e verificava-se que os compromissos, feitos pela ARS não tinham sido cumpridos. Passado 3 meses, o que fez essa comissão? Quais os compromissos que foram entretanto cumpridos?

Porque sabemos que tudo continua igual, levantamos as seguintes questões: Quando serão cumpridos os compromissos assumidos ao longo dos anos pela ARS com os Valonguenses? Até quando vamos simplesmente cruzar os braços à espera que essas promessas sejam cumpridas? Não está na hora de agir? Na hora de ganhar os valonguenses para a defesa desta causa, mostrando-lhes que têm razões para exigiram o cumprimento destas promessas?

E por último deixamos aqui mais duas questões quantas pessoas tiveram de ir ao hospital de S. João por causa de uma simples gripes, quando podiam ter resolvido a situação com a ida ao Centro de Saúde se este estivesse aberto em horário alargado? Quantas pessoas não foram assistidas no hospital de S. João devido a questões económicas relacionadas com o pagamento de transportes e taxas moderadoras?

Os eleitos da Coligação Democrática Unitária