Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

De que quererá o PS desviar as atenções?

29.01.09

Em documento tornado público no passado dia 15 de Janeiro, e publicado no Jornal "A Voz de Ermesinde", o Partido Socialista, saindo em defesa do PSD e do Presidente da Junta de Freguesia de Ermesinde, Artur Pais, entendeu responsabilizar o PCP pelo facto de aquele órgão autárquico não ter ainda um Plano de Actividades e Orçamento para 2009 devidamente aprovado.

 

Não repetiremos aqui os argumentos que fundam a intervenção do PCP, desenvolvida no quadro de uma Coligação de comunistas e de outros democratas - a CDU -, no plano autárquico. Por todo o país, os portugueses sabem que os eleitos da CDU colocam, como nenhuns outros, acima de qualquer interesse pessoal ou partidário os interesses da população e que, por isso, a sua actuação institucional é pautada pela verdade, pela frontalidade e pela disponibilidade para trabalhar com outras forças políticas na obtenção de respostas aos anseios das pessoas. É esse, de resto, um dos principais pilares do Poder Local democrático e é por ele que nos temos batido. A nossa actuação na Junta de Freguesia de Ermesinde não foge, como é óbvio, a estes princípios.

 

Também não repetiremos aqui as razões das nossas tomadas de posição acerca dos Planos de Actividade e Orçamentos sucessivamente apresentados ao Executivo da Junta de Ermesinde pelo seu Presidente e pelo PSD, partido ao qual cabe a liderança deste órgão autárquico. Tais razões são públicas e podem ser consultadas nos mais diversos pontos: através de leitura das actas das reuniões da Junta, na Internet - através de consulta ao blog da CDU -, nas páginas do Jornal "A Voz de Ermesinde", que o PS agora, como noutras ocasiões, utiliza para atacar a CDU, defendendo o PSD, ou junto dos nossos eleitos na Junta e na Assembleia de Freguesia de Ermesinde, os quais têm inclusivamente um Gabinete de Atendimento à População a funcionar na última 4ª Feira de cada mês. Não faltam, pois, espaços onde a verdade dos factos e a clareza das nossas posições podem ser atestadas. Não obstante, recordámos que a CDU se absteve na votação do Plano de Actividades e Orçamento para 2006, dando o benefício da dúvida à Junta e mostrando-se sensível à questão da necessidade de conclusão do edifício-sede, votou favoravelmente o documento de 2007, no qual foram incluídas diversas propostas por nós apresentadas, que considerámos muito importantes para o desenvolvimento da freguesia, e votou contra as versões de 2008 e 2009, por considerar que não só não haviam sido executadas as deliberações inseridas nos anteriores documentos, como o PSD e, em particular, o Presidente da Junta, não estavam a agir de boa fé e, pior ainda, não demonstravam competência para liderar os destinos de uma autarquia como a de Ermesinde.

 

Se, em 2008, a proposta de Plano de Actividades e Orçamento viria a passar, foi porque a Oposição, PS e CDU, se abstiveram, para não dar azo a que o Presidente da Junta se vitimizasse e arranjasse mais uma desculpa para continuar a fazer o que melhor sabe fazer: nada. Mas, depois de mais um ano de inércia absoluta, não estamos em condições de continuar a compactuar, seja de que forma for, com este estado de coisas.

 

Estranhamente, porém, é o PS que se vem doer pelo PSD, mostrando-se muito preocupado com o nosso voto contra. Não percebemos esta preocupação. Se o PS deseja tanto que a Junta tenha Orçamento e Plano de Actividades para 2009, por que razão não vota ele favoravelmente a proposta do PSD? Como maior força da Oposição na Junta, é ao PS que caberia maior responsabilidade nesta questão. Vir agora perguntar à CDU por que motivo não vota favoravelmente a proposta de Plano de Actividades e Orçamento para 2009 é que faz muito pouco sentido, até porque em relação a isto nada foi dito pelo PSD, à partida o principal interessado.

 

Ao atacar reiteradamente o PCP e a sua eleita na Junta de Ermesinde, Sónia Sousa, o PS mais uma vez faz o jogo do PSD, desviando as atenções do que realmente interessa, que são os Ermesindenses e os seus problemas e a incapacidade que a actual liderança da Junta tem para os atacar.

 

Ao longo  de anos, foi sempre prática habitual do PS fazer acusações mentirosas acerca das opções que o PCP assume quanto ao seu funcionamento e à forma como entende a sua participação nas autarquias. Dava jeito ao PS que aprovássemos  o Plano de Actividades e Orçamento da Junta de Ermesinde para 2009? Presumimos que sim. Serviria, como vimos, para que o PS continuasse a desviar as atenções do que realmente interessa e para esconder os entendimentos que vão acontecendo a diversos níveis no seio do bloco central: em questões estruturantes como as que se reportam ao domínio do imobiliário, nas leis autárquicas, na colocação dos seus "boys" (e "girls") em "jobs" existentes ou a criar...

 

Nunca escondemos a nossa a disposição para trabalhar com quem nos der condições para o fazer. É uma característica que faz parte da nossa identidade em matéria de trabalho autárquico. E também sempre denunciámos o facto de PS e PSD, quando estão no poder, acusarem o PCP de entrar em "acordos" ou de ter determinadas "ambições". Isso, porém, são "soundbytes", cuja finalidade é desviar as atenções do que realmente interessa. É a "política de terra queimada" dos dois partidos. É ambos quererem que nada se faça na freguesia, na lógica do "ora agora estás lá tu, ora agora vou para lá eu" - mudar para que tudo fique na mesma. É uma forma de estar na política na qual não nos revemos e que repudiamos veementemente. Repúdio que, estamos em crer, é partilhado pela esmagadora maioria da população.

 

Quanto ao caso vertente, fica uma pergunta: se está tão preocupado com a aprovação do Plano de Actividades e Orçamento para 2009 da Junta de Freguesia de Ermesinde, porque continua o PS a votar contra, sem sequer se preocupar em apresentar uma proposta de alteração que seja? Cada força política deve assumir a responsabilidade das decisões que toma e das acções que desenvolve - e nós assumimos a nossa. PS e PSD é que parecem não saber o que fazer aos votos que os eleitores lhes concederam nas eleições de 2005. A não ser esperar que esses votos lhes sejam novamente concedidos, em maior ou menor volume.

 

A Comissão Concelhia de Valongo do Partido Comunista Português

 

Ermesinde, 29 de Janeiro de 2009

 

 

Sobre os resultados das Eleições Intercalares em Alfena - Comunicado da CDU

26.01.09

Sobre os resultados das Eleições Intercalares em Alfena

 

Comunicado da CDU

 

As Eleições Intercalares para a Junta de Freguesia de Alfena, ocorridas no passado Domingo, dia 25 de Janeiro, tiveram lugar num quadro marcado por forte desconhecimento da população local acerca dos motivos pelos quais foi convocado este acto eleitoral. Tais motivos, que devem ser assacados ao bloco central de interesses que vem governando a Junta de Alfena há várias décadas - bloco central de interesses representado nestas eleições por uma lista "independente" apoiada pelo PSD (que não concorreu) e pelo PS -, são do domínio da disputa político-partidária e pouco têm que ver com os problemas de Alfena e dos Alfenenses, o que ajuda a explicar a fraca participação popular na eleição (55% de abstenção).

Dois aspectos fundamentais merecem ser retidos: por um lado, fica cabalmente esclarecido, para quem ainda tinha dúvidas, o teor e objectivos de candidaturas que se apresentam ao eleitorado como "independentes", quando mais não são do que representação de facções no interior do bloco central de interesses; por outro lado, verifica-se que PSD e PS nada fizeram nesta eleição senão disputar o poder pelo poder, sem interesse no esclarecimento da população. Do confronto, saiu vitoriosa a lista "independente", que não tinha maioria absoluta e que a alcançou, capitalizando o facto de, desta feita, o PSD não ter sequer apresentado candidatura própria - tendo mesmo declarado publicamente o apoio à candidatura "independente" (com participação activa na campanha do Presidente da Câmara de Valongo, Fernando Melo, e do responsável da Comissão Política Concelhia do PSD, João Paulo Baltazar).

Pouco esclarecida, e com pouco tempo para obter mais informação sobre o que efectivamente estava em causa, a população de Alfena votou de forma largamente maioritária na candidatura que representava a continuidade.

A CDU, apesar de ter sido a única força concorrente a desenvolver uma campanha de esclarecimento junto da população, com denúncia dos porquês das "zangas de comadres" verificadas nas hostes de PSD e PS, não conseguiu eleger nenhum representante para a Assembleia de Freguesia de Alfena, repetindo resultados idênticos a anteriores actos eleitorais.

Com um pouco mais de tempo - e sabendo-se que os recursos da CDU são escassos -, estamos em crer que não só teríamos conseguido, como conseguimos, manter a percentagem de votantes, como estaríamos em condições de reforçar a nossa votação. Seja como for, ficou do trabalho realizado a certeza de que temos hoje um conjunto de homens e mulheres de Alfena que, independentemente dos resultados eleitorais, estará em condições de continuar a exigir o esclarecimento em falta, dando igualmente continuidade a um trabalho nunca antes conseguido naquela freguesia, tendo em conta as próximas eleições autárquicas, que se realizam ainda este ano.

Até lá, a CDU reafirma a sua total disponibilidade e empenho para continuar a aprofundar o seu conhecimento sobre a freguesia, para ouvir os Alfenenses e procurar ser voz dos seus anseios e expectativas, assim se afirmando como única e real alternativa política na freguesia.

 

 

A Coordenadora da CDU/Valongo,

26 de Janeiro de 2009

Eleições Intercalares em Alfena - Faltam 3 dias!

22.01.09

CDU

Força Alternativa em Alfena!

 

As questões dos transportes são das que mais preocupam a população de Alfena e, claro, também a CDU. Apresentamos dois compromissos imediatos neste domínio.

 

Propostas para mudar a política em Alfena

 

Transportes

 

- Melhoria das ligações por transporte público entre lugares da freguesia, alargando a cobertura às zonas residenciais mais recentes e mais isoladas;

- Melhoria da ligação por transporte público entre Alfena e o centro do concelho (Valongo).

 

Alfenense:

Domingo, dia 25 de Janeiro, vota na única força que te representa realmente!

Vota na única alternativa!

Vota CDU!

Eleições Intercalares em Alfena - Faltam 5 dias!

20.01.09

CDU

Força Alternativa em Alfena!

 

Faltam apenas cinco dias para as eleições intercalares em Alfena. A CDU apresenta-se a este acto eleitoral como a única força política capaz de romper com os interesses que o bloco central tem representado na freguesia ao longo de sucessivos mandatos.

E em que domínios mais se vêem estes interesses? No imobiliário e na gestão e valorização do património natural, pois claro! Ao longo dos últimos anos, Alfena tem estado a saque: a urbanização avança de forma desregrada, desrespeitando as mais elementares regras do ordenamento do território e da defesa do património natural local. Entre os principais resultados deste processo, estão a destruição de ecossistemas, as dificuldades de circulação - como recentemente tem sido noticiado e discutido pela população -, a descaracterização da paisagem, o predomínio do cinzento do betão sobre o verde das árvores.

 

A CDU tem propostas para mudar o rumo urbanístico e ambiental de Alfena! No dia 25, vote nestas propostas e mude a política local!

 

Propostas para mudar a política em Alfena

 

Urbanismo e Meio Ambiente

 

- Independência total face aos interesses imobiliários que percorrem Alfena, defesa da contenção da construção nova e da consolidação das áreas construídas, numa atitude de permanente vigilância relativamente ao cumprimento do Plano Director Municipal;

- Arranque dos trabalhos da nova zona cívica de Alfena;

- Defesa dos sistemas naturais – fauna e flora – que subsistem na freguesia e envolvimento da população, designadamente dos jovens, através das escolas, em iniciativas de defesa do património natural;

- Efectiva despoluição do Rio Leça – prosseguindo a limpeza das suas margens, mas indo bem mais além –, através da identificação rigorosa das fontes poluidoras e de uma fiscalização permanente das potenciais descargas poluentes;

- Criação de jardins e áreas de lazer junto das principais zonas residenciais da freguesia, em especial das mais recentes e que foram edificadas sem que esses equipamentos fossem projectados e executados.

 

 

Diário da Campanha CDU

 

Hoje, 20 de Janeiro, a partir das 15h30, a campanha da CDU, liderada pelo nosso candidato à Presidência da Junta, Francisco Gouveia, estará na zona do Barreiro a contactar com a população local. Junte-se a nós!

Ajustes Directos da Câmara Municipal de Valongo

19.01.09
Ent. Adjudicada Objecto Montante 
Lancaster Collegge Aquisição de serviços de actividades de enriquecimento curricular, durante o ano lectivo 2008/2009 512.337,00 €
Caetano Autobody, SA. Aquisição de uma viatura pesada para deficientes 94.500,00 €
Fomento d’Ideias - Eventos, Edições e Comunicação, Lda. Serviços de consultadoria na área da comunicação 66.000,00 €
Famo Comercial - Mobiliário de Escritório, Lda. Aquisição de diverso mobiliário para diversas Escolas do Concelho 54.185,30 €
SINOP - António Moreira dos Santos, SA Descarga das caixas de resíduos de varredura dos Ecocentros, limpeza de montureiras e deposição dos resíduos em aterro autorizado 46.000,00 €
Empresa de Transportes Gondomarense, Ld.ª Passes escolares 43.298,00 €
Goldgest - Gestão Hoteleira Dist.Alimentar, Lda. Fornecimento do almoço de Natal para a 3.ª Idade 34.927,20 €
CPC-Companhia Portuguesa de Computadores Informática e Sistemas, S.A. Renovação de licenças de Autocad 24.769,80 €
Instituto de Ciências Técnicas Agrárias Agrícolas Alimentares Elaboração de projecto de requalificação dos jardins da Freguesia de Valongo 21.384,00 €
Fomento d’Ideias - Eventos, Edições e Comunicação, Lda. Serviços para criação de um portal de internet 20.050,00 €
Sopsa - Representações e Comércio, Ld.ª Aquisição de 10 contentores Molok 17.500,00 €
NextBrand, Lda. Impressão da Revista Municipal 16.675,00 €
DelicatePlan - Consultoria e Engenharia, Unipessoal Projecto de especialidades para requalificação e ampliação da Escola da Retorta, em Campo 12.000,00 €
Imprensa Nacional Casa da Moeda Aquisição de Autos de Contra -Ordenação, Modelo 1432 9.200,00 €
António Meireles, SA Aquisição de equipamento para diversas cantinas/refeitórios escolares 7.690,32 €
Electrongo - José Rodrigues Ferreira Aquisição de diverso material eléctrico 7.343,30 €
Nortel - Com. Equip. Hoteleiro, Lda. Aquisição de palamenta para diversas Escolas 7.079,72 €
LST-Serralharia Civil, Lda Fornecimento e colocação de vedações 6.994,00 €
Netflow - Desenvolvimento de Sistemas de Informação, Lda. Manutenção e Assistência Técnica aos equipamentos informáticos instalados nas Escolas EB1 do Município de Valongo 6.120,00 €
Quatro (4) ESSE - Serviços Segurança, Lda. Instalação de um sistema de detecção de intrusão no edifício do DEASJD 5.763,50 €
Areal Editores, Lda Aquisição de mobiliário para diversas cantinas/refeitórios escolares 4.795,28 €
Ricardo Vale & Teixeira, Ld.ª Aquisição de peças para Camião MAN, matrícula 78-46-BN 4.188,20 €
MegaAssist - Equipamentos Hoteleiros, Lda. Aquisição de equipamento para diversas Escolas 3.383,00 €
Nortel - Com. Equip. Hoteleiro, Lda. Aquisição de palamenta para diversas Escolas de Ensino Básico 2.315,28 €
Empresa Diário do Porto, Ld.ª Arranjo gráfico e impressão de convites e catálogos para exposição 2.290,00 €
Empresa Diário do Porto, Ld.ª Arranjo gráfico e impressão de convites e catálogos para exposição 2.290,00 €
M.L.M. Mobiliário, Lda. Aquisição de mobiliário para a Escola EB1/JI do Paço 2.031,00 €
Decotirso - Decorações, Lda. Aquisição de mobiliário para diversas Escolas 1.785,48 €
Cânon Portugal, S.A. Aquisição de uma fotocopiadora para a nova Escola EB1/JI de Valongo 780,18 €
Paupério Distribuição, Lda. Aquisição de diversos biscoitos durante o ano de 2009 750,00 €
Rui Marques - Montagens Eléctricas Aquisição de mobiliário para diversas cantinas/refeitórios escolares 714,00 €
Mário Gonçalves, Ld.ª Aquisição de perfis metálicos 677,70 €
Gondomadeiras - Martins & Filhos, Ld.ª Aquisição de material de carpintaria para execução de armário 571,92 €
David Santos, Poças & Silva, S.A. Aquisição de material de carpintaria para execução de armário 550,25 €
Sorepal - Soc. Reprográfica de Papéis, SA. Aquisição de uma máquina de cortar papel 508,00 €
Empresa Diário do Porto, Lda. Aquisição de bilhetes para diversos espaços culturais 450,00 €
J. Martins & Dias, Lda. Reposição de stock “carpintaria” 449,64 €
Desportave - Eventos Desportivos Unipessoal, Lda. Aquisição de dorsais para a 25.ª S. Silvestre de Ermesinde 150,15 €
Troca de Impressões de Sónia Teixeira Aquisição de convites para o evento “IX Porto Cartoon” 136,80 €

 

 

Transparência na administração publica

 

http://transparencia-pt.org/

Os rostos da Força Alternativa em Alfena

19.01.09

 

 

Francisco Gouveia
63 anos
Reformado

Natural do concelho de Baião e residente em Alfena há mais de 35 anos
Membro do Partido Comunista Português desde 1974
Dirigente sindical durante cerca de 20 anos, primeiro no sector das indústrias açucareiras, depois no sector das indústrias alimentares

 

 

 

Nuno Borges

 

 

 

Claúdia Santos

 

 

 

António Varela

 

 

 

 

Margarida Braga

 

 

 

José Nicolau

 

 

 

 

Vitor Meneses

Eleições intercalares em Alfena - Faltam 8 dias!

17.01.09

CDU

Força Alternativa em Alfena!

 

Diário da Campanha CDU

 

Hoje, os Alfenenses saíram à rua e puderam já tomar contacto com os materiais de campanha da CDU. Numa acção de divulgação do nosso candidato à Presidência da Junta, foram colocadas na freguesia dezenas de cartazes.

Entretanto, começaram também as acções de contacto com a população. Os objectivos principais são dois: por um lado, esclarecer os Alfenenses sobre os problemas e politiquices que têm ocorrido na Junta; por outro lado, apresentar as grandes linhas do nosso programa, com propostas arrojadas em diversas áreas fulcrais para o desenvolvimento da freguesia.

 

Neste blog, mantê-lo-emos ao corrente das nossas acções de campanha.

Junte-se a nós para mudar a política em Alfena!

Eleições intercalares em Alfena - Faltam 9 dias e a campanha já começou!

16.01.09

Começou hoje a campanha para as eleições intercalares em Alfena, que se realizarão no próximo dia 25.

Acompanhando a intensa campanha de afirmação da CDU na freguesia e o alargado conjunto de contactos e iniciativas de esclarecimento que realizaremos junto dos Alfenenses, publicamos aqui os principais elementos do programa eleitoral que submeteremos à consideração da população neste acto eleitoral.

 

Hoje, um esclarecimento sobre a nossa posição face a esta eleição e algumas propostas para mudar o funcionamento da Junta de Freguesia.

 

 

CDU

Força Alternativa em Alfena!

 

No próximo dia 25 de Janeiro, os Alfenenses serão chamados a eleger uma nova Junta de Freguesia. As eleições intercalares deste mês realizam-se a menos de um ano das próximas eleições autárquicas e decorrem da demissão do Presidente da Junta, justificada pelo próprio com base nas supostas incompatibilidades geradas entre as forças políticas até aqui representadas na Junta – a lista "independente" de que o Presidente faz parte (e que tem sido apoiada pela Comissão Política local do PSD), o PSD (outra das suas facções) e o PS (que se tem aliado a esta última facção do PSD).

 

A CDU não comenta nem interfere nos problemas internos dos outros partidos; muito menos se interessa por lutas de famílias, político-partidárias ou não, ou por zangas de comadres. O problema começa quando essas lutas e zangas prejudicam o funcionamento de um órgão autárquico, como tem acontecido na Junta de Alfena. Nos últimos meses, a Junta de Alfena tem sido notícia pelos piores motivos: insinuações de má gestão, querelas partidárias, lutas de interesses, negócios e falta de transparência. As guerras entre as forças partidárias representadas na Junta – expressão de conflitos no interior do bloco central de interesses que vem governando a Junta de Alfena há muitos anos – e a demissão do Presidente nada mais trazem senão prejuízos à população de Alfena, que está sem Junta há três meses.

 

Alfena precisa de outra política e de novos protagonistas! Engane-se, porém, quem pensar que essa política e esses protagonistas podem ser encontrados no interior dos grupos que têm liderado os destinos da Junta ao longo de sucessivos mandatos. A alternativa está fora do bloco central de interesses que vem dominando a política do concelho de Valongo e do país. A CDU apresenta a estas eleições uma lista que combina experiência e juventude e que, acima de tudo, é guiada por um único e exclusivo interesse: Alfena.

 

É preciso voltar a colocar as pessoas e os seus problemas no centro das preocupações da Junta de Freguesia de Alfena. Consigo, vamos devolver a credibilidade e a transparência à Junta! Consigo, vamos mudar a política em Alfena!

 

 

Propostas para mudar a política em Alfena

 

Funcionamento da Junta de Freguesia

 

- Reposição do normal funcionamento da Junta e da transparência e independência das suas decisões;

- Envolvimento directo dos Alfenenses na definição das políticas a desenvolver e na execução das decisões tomadas;

- Rejeição da subserviência face à Câmara e defesa intransigente dos interesses de Alfena junto dos órgãos autárquicos municipais.

 

 

Consigo, vamos mudar a política em Alfena!

Dia 25, junte-se a nós!

 

Nas Autarquias, na Assembleia da República, no Parlamento Europeu - CDU para uma vida melhor

16.01.09

1.

 

A CDU - coligação eleitoral que reúne o Partido Comunista Português, o Partido Ecologista Os Verdes e a Associação Intervenção Democrática - é comprovadamente um espaço de participação de milhares de cidadãos e cidadãs independentes. Sabem-no todos os homens e mulheres que, sem filiação partidária, encontram ano após ano na CDU, nas suas listas  e no activismo político da coligação, o lugar para uma enriquecedora intervenção cívica e política.

2.

 

Pelo seu percurso e acção, pelos partidos que a integram e pela empenhada intervenção de milhares de homens e mulheres que lhe dão corpo e vida, a CDU é a força que dá segurança e garantia de uma política de verdade, sempre presente e solidária com a luta em defesa dos  direitos e aspirações das populações, dos trabalhadores e do povo, sempre presente na defesa e afirmação do interesse e soberania nacionais.

 

Na CDU, e na intervenção dos seus eleitos locais, está presente um reconhecido património de trabalho e realizações, uma distintiva qualidade na intervenção e gestão de centenas de autarquias, uma inegável obra realizada na valorização urbana e cultural de numerosos concelhos e freguesias do país, uma acção em defesa do poder local democrático e um percurso marcado pelo trabalho, honestidade, competência e isenção. Na defesa intransigente  dos interesses populares, na acção empreendedora de apresentação de propostas e soluções mas também, nas provas dadas pelo trabalho desenvolvido a CDU afirma-se como uma força portadora de um projecto de futuro com a energia, a capacidade e o saber indispensáveis à construção de uma vida melhor.

 

Na CDU, e na intervenção dos seus deputados eleitos na Assembleia da República, marca presença uma qualificada acção parlamentar estreitamente ligada ao pulsar da vida e das aspirações populares, identificada com a defesa das conquistas e direitos que Abril consagrou, combinando uma firme atitude de denúncia e combate às politicas que avolumam injustiças e liquidam direitos com uma reconhecida iniciativa de afirmação de soluções que respondem aos principais problemas do país, dos trabalhadores e do povo e que testemunham que há um outro rumo e um outro caminho capaz de abrir um futuro de esperança numa vida melhor.

 

Na CDU, e no papel desempenhado pelos seus deputados no Parlamento Europeu, reside um combativo e firme trabalho em defesa dos interesses nacionais e um decidido combate ao neoliberalismo, ao federalismo e ao militarismo que marcam o processo de integração capitalista da União Europeia. A acção da CDU no Parlamento Europeu na defesa intransigente da produção nacional, dando voz às reclamações e direitos dos agricultores, dos pescadores ou dos pequenos e médios empresários, defendendo os direitos dos trabalhadores e os serviços públicos, lutando pela construção de uma Europa de paz e cooperação é testemunho de uma intervenção vinculada aos interesses do país e dos portugueses.

 

3.

 

A CDU afirma-se também, com redobrada actualidade, como um grande e reforçado espaço de convergência democrática e de alternativa política, de todos aqueles que, afrontados pela política de direita, hoje exigem a ruptura com essa política e uma inequívoca e consistente política de esquerda.  Pela coerência do seu projecto e a garantia que o seu percurso unitário e democrático testemunham, a CDU é a única força cujo reforço eleitoral e político pode pôr fim à alternância e abrir portas à construção de uma alternativa política.

 

Expressão de Abril e dos valores que lhe estão associados, a CDU tem a força desta larga convergência democrática e alternativa, aberta aos cidadãos inconformados com as políticas ruinosas prosseguidas ao longo de anos, com as potencialidades desperdiçadas e o descrédito dos partidos  que têm desgovernado o País. 

 

Espaço de convergência de causas e lutas, onde cabem todos os trabalhadores, reformados e pensionistas, os pequenos empresários da agricultura e pescas, da indústria e serviços, todas as mulheres e jovens, ofendidos nos seus direitos e dignidade, os patriotas e democratas que sentem Portugal afectado na sua soberania e ameaçado no seu futuro como pátria independente.

 

Espaço de democracia onde cabem todos os que aspiram e exigem uma real mudança de políticas, todos os que se identificam com a causa pública e se colocam ao serviço dos interesses dos trabalhadores, das populações e do povo português.

 

4.

 

As batalhas políticas e eleitorais de 2009 constituem um momento e uma oportunidade para  abrir caminho a um futuro melhor para o país e para os portugueses, para afirmar um outro rumo que rompa com as opções e a política de direita. Por redobrada razão a CDU será em 2009 o espaço para onde conflui a força e a vontade dos que confiam que é possível uma vida melhor e dos que com convicção acreditam que é possível convencer pela razão e justeza das suas posições políticas e vencer pelo trabalho e luta por um Portugal de progresso e justiça social.

 

 

Pág. 1/2