Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

Presidente da Câmara envia carta a proibir a Junta de usar o espaço do Parque Urbano.

07.09.06

Transcrição da Carta Enviada pelo Dr. Fernando Melo à Junta da Freguesia de Ermesinde

“2006/08/02
Ex.mo Senhor:

Tendo tipo conhecimento de que, há dias, no “IV Festival de Folclore da Casa do Povo de Ermesinde”, realizado nas instalações do Parque Urbano de Ermesinde, cedidas graciosamente pela Câmara de Valongo, um senhor, elemento da Junta da Freguesia de Ermesinde, e também da Casa do Povo de Ermesinde, de nome Américo Silva, se permitiu fazer comentários públicos no mínimo deselegantes e impróprios para o Executivo Camarário e também para o Presidente da Junta de Freguesia de Ermesinde, a quem no mínimo deveria respeitar, independentemente dos seus conceitos e intenções menos próprias, venho informar que futuramente a Câmara não cederá instalações sempre que tenha conhecimento que aquele senhor possa representar qualquer um desses Organismos.
A Câmara sempre pautou as suas intervenções com toda a gente, independentemente de posições ideológicas ou outras, com respeito e educação, o que não foi o caso, pelo que se vê obrigada a dar conhecimento da sua posição presente e futura em relação a atitudes destas que não dignificam quem as toma

Com consideração e amizade,

O Presidente da Câmara Municipal”


Voto de protesto é aprovado com apenas as abstenções e os votos contra do PSD.


Voto de protesto

A Junta da Freguesia de Ermesinde, reunida em sessão ordinária no dia 6 de Setembro de 2006, tomou conhecimento do teor das cartas enviadas pelo Sr. Presidente da Câmara de Valongo e pelo Sr. Presidente da Assembleia de Freguesia.

Trata-se de uma situação completamente absurda, anormal, causadora da maior perplexidade e que poderá pôr em causa o bom relacionamento institucional entre Órgãos Autárquicos com a mesma legitimidade – eleitos directamente pela população.

Atendendo ao teor da primeira carta, já que a segunda foi consequência daquela, o Executivo da Junta da Freguesia de Ermesinde não pode deixar de exprimir o seu maior vivo repúdio pela conclusão da mesma, uma vez que tal decisão abrange indiscriminadamente a população de Ermesinde, tendo em vista que o Parque Urbano não é propriedade privada do Sr. Presidente da Câmara, que, assim não pode dispor dele a seu belo gosto.

Que a este voto de protesto seja junta fotocópia da carta enviada pelo Sr. Presidente da Câmara e dado conhecimento à Assembleia de Freguesia, a todos os vereadores da Câmara, Assembleia Municipal e Órgãos de Comunicação Social.

Ermesinde, 6 de Setembro de 2006

7 comentários

Comentar post