Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

Recomeçou o massacre das árvores

07.01.10

 Assim que chegam os primeiros dias do Inverno e até as árvores começarem – pobres delas – a deitar as primeiras folhas, começa-se a assistir ao degradante espectáculo da chamada “poda” das árvores ornamentais das ruas e jardins no nosso concelho.

 Esta mal chamada " poda " visa, pretensamente, dar um ar de "limpeza" e um aspecto pretensamente "cuidado" às árvores que são alvo destes maus tratos. Chegam a invocar-se “razões de segurança” e de “higiene” como justificação desta barbaridade…

 Há poucos dias coube a triste sina aos dois ou três choupos plantados diante da escola primária da Gandra, em Ermesinde. Montou-se um aparato de escada magirus, moto-serras, uma equipa vasta de “técnicos habilitados”, mandados por outros ainda mais habilitados, certamente e a complicada e científica operação foi levada a cabo. O espectáculo atraiu os habituais desocupados, mirones, fazedores de opinião e avaliadores.

O resultado lá está - uns tristes paus ao alto, que já foram árvores. Nem vale a pena publicar as imagens, tão frequente é esta situação. Teria dado menos trabalho cortá-las pelo fundo e o resultado era o mesmo. Ainda por cima diante duma escola, onde se devia e deve ensinar às crianças o respeito pela Natureza. Claro, que no Dia da Árvore os senhores professores, os senhores vereadores, até o senhor presidente da Câmara, cujos arroubos ambientalistas todos conhecem, vão levar os meninos a plantar uma árvore lá num cantinho do recreio da escola, que invariavelmente seca de seguida, mas não faz mal, porque já se tirou a fotografia...

 E entretanto, perante a indiferença da maioria, o bota-abaixo continua. Onde é a seguir?

 

 

 

 

Para que não se diga que na CDU só sabemos fazer críticas, aqui fica uma contribuição para o enriquecimento do arvoredo dos espaços públicos de Ermesinde. De resto, os eleitos da CDU já falaram destas questões na Junta e na Assembleia de Freguesia de Ermesinde  em várias ocasiões.

 

Algumas árvores que poderão ser plantadas em Ermesinde em ruas, formando alameda, ou em jardins, placas de rotundas, etc.

 

De grande porte (a plantar em locais amplos e desassombrados)

 

Carvalho alvarinho ou roble (espontâneo em Portugal; folha caduca, alguns exemplares em Ermesinde, em terreno do domínio público, a inventariar e proteger)

 

Castanheiro (espontâneo em Portugal, árvore de fruto, folha caduca)

 

Cipreste (muitas espécies, de portes elevados e folhagem do verde-negro ao amarelo-limão)

Cedros (exóticos; do Líbano ou do Atlas; com os anos dão árvores monumentais)

Nogueira (árvore de fruto, folha caduca; perfil bonito)

 

Pinheiro manso (espontâneo em Portugal – um dos pinheiros não exóticos existente no país; muito bonito, de crescimento lento)

 

Pinheiro do Gerês (endémico)

 

Tília de folhas pequenas (Tília cordata) (folha caduca, bonita, floração abundante muito perfumada)

 

Sobreiro (espontâneo em Portugal; há alguns exemplares no termo da freguesia de Ermesinde, de grande porte, que importa sinalizar e proteger urgentemente)

 

Tulipeiro da Virgínia (exótica de folha caduca, de grande porte, bela folheação verde claro )

 

Castanheiro da Índia ( exótica de folha caduca; bonita, com boa e bela floração, faz boas alamedas, frondosas)

 

Liquidambar ( exótica de folha caduca; árvore elegante, com folhagem muito bonita, sobretudo no Outono, com a sua variedade de tons amarelo-avermelhados; há alguns exemplares de grande porte sobreviventes na estrada da Sta Rita; há novos exemplares bonitos, não estropiados, mas plantados demasiado juntos, no parque urbano de Ermesinde)

 

Canforeira (exótica, de folha perene, bela folhagem aromática; há em Ermesinde, pelo menos um exemplar precioso, em terreno privado, a proteger) 

Jacarandá (exótica, de folha caduca, muito bonita quando florida, no princípio do Verão)

 

Araucária (folha perene; há diversas espécies, todas exóticas, com perfis diferenciados; são silhuetas familiares nesta zona do país, apesar de exóticas, existindo exemplares de grande porte; são plantadas nos jardins privados, quase sempre de forma lamentável, em espaços exíguos, o que leva ao seu corte passados uns anos, quando os donos se apercebem “que elas crescem muito”)

 

Ginkgo (exótica, de folha caduca, a plantar aqui e ali; é uma árvore “primitiva” do ponto de vista botânico, devia-se plantar nas escolas, por exemplo, com intuitos educativos)

 

 

De porte médio a plantar em ruas mais estreitas ou locais mais acanhados

 

 

Azevinho (espontâneo em Portugal, muito bonito e decorativo, cresce bem, bem adaptado)

 

Olaia (exótica, de folha caduca, muito decorativa quando florida faz alameda ligeira muito interessante; há alguns exemplares no parque urbano de Ermesinde, no largo da estação de Valongo, etc. )

 

Catalpa (exótica, de folha caduca, um pouco feia quando isolada)

 

Camélia ou Japoneira (exótica, de folha perene, muito característica no Entre Douro e Minho, no Porto, etc. e também em Ermesinde, onde se dá muito bem; inúmeras variedades de muito bonita floração; tem a vantagem de florir no Inverno, quando não há praticamente outras flores; de crescimento lento; existe em todo o concelho, mas pouco nos jardins públicos).

 

Pawlonia (exótica, de folha caduca, de floração abundante e bonita)

 

Laranjeira doce (folha perene; árvore muito decorativa, pelos frutos, pela flor abundante e perfumada, pela folhagem verde-escuro brilhante; necessita tratamento fitossanitário)

 

Oliveira (pode atingir grande porte, na região onde se insere Ermesinde mas é de crescimento lento; escolher a variedade Galega por mais adaptada aqui - e não as do Alqueva, que são árvores desadaptadas no Norte; árvore de folhagem verde-cinza muito bonita; alguns exemplares jovens na praça da Estação de Ermesinde)

 

Rododendro (exótica, folha perene, floração muito bonita de vários tons de rosa, vermelho, vermelho-lacre e lilás; com os anos, esta árvore pode atingir grandes portes)

Teixo (folha perene, verde escuro, porte elegante; com muitos anos pode atingir grandes dimensões)

 

Arbustos (para complementar espaços com árvores, por exemplo)

 

Buxo (de crescimento lento, lançando aroma suave característico, sobretudo em dias quentes; com os anos, pode atingir porte de árvore média)

 

Alecrim (há muitas variedades, com tipos de ramagem, porte e flor e folhas diferenciados)

 

Torga (para formar tapete, floração abundante muito bonita (rosada); há-as nos montes à volta de Valongo, é só lá ir buscá-las)

 

Carqueja (idem; floração amarela)

 

Buxo (folha perene)

 

Canas da Índia (para formar maciços)

 Trepadeiras para revestimento de paredes (Hera (folha perene), Vinha Virgem (folha caduca), Ficus pumila (folha perene, coriácea, verde escura brilhante), etc..

 Trepadeiras para ramadas e pérgolas (Glicínia (folha caduca), roseiras, etc..)

 

O TULIPEIRO DA QUINTA DO TABORDA, UMA DAS ÁRVORES VALIOSAS EXISTENTES EM ERMESINDE

 

 

6 comentários

Comentar post