Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

Intervenção de Deolindo Caetano na Sessão de Apresentação da candidatura concelhia

09.05.09

Caros amigos e camaradas, agradeço a vossa presença nesta que é a primeira apresentação pública dos primeiros candidatos da CDU, à Câmara e Assembleia Municipal de Valongo.

Quando me foi lançado o desafio para ser candidato à Câmara de Valongo é verdade que, a minha adesão a este desafio não foi instantâneo. Não que houvesse reservas politicas, nem tão pouco motivos pessoais.

Entendia, como disse nessa altura, que os meus 27 anos de actividade autárquica embora ajudassem ao meu currículo, não devia ser factor para que outras soluções não fossem perspectivadas. É sabido que a minha postura política foi, e é, a abertura e oportunidades a novos quadros que militam no quadro do PCP e da CDU.

Tem a CDU de Valongo, no seu seio, quadros novos para este desiderato. Também há outros camaradas e amigos que com a sua experiência autárquica podiam ser alternativas à solução encontrada. 

Quis assim o meu partido. Eu, como noutras alturas, não neguei mais um desafio. Desafio que muito me honra, quanto mais que, teve a aprovação sem reticências dos órgãos do Partido do concelho. Sei também que no seio da CDU esta escolha não sofreu reparos.

Sei aquilo que quero para o concelho de Valongo e sei também as linhas de orientação no quadro da CDU - Trabalho, Competência e Honestidade, espero pois, não vos defraudar.

A minha passagem pela Assembleia Municipal, facultou-me conhecimentos e experiência, para hoje poder discutir melhor o concelho de Valongo: as suas deficiências, a sua riqueza patrimonial e humana, as suas mais-valias, assim como soluções para colmatar as dificuldades das populações. Não prometo eu, nem a CDU, soluções milagrosas.

É certo, que tanto o PSD, como o PS prometeram outrora e vão continuar a prometer, mundos e fundos e depois, quando vamos fazer o balanço dos seus mandatos, essas promessas não são cumpridas.

Analisando a gestão do Dr. Fernando Melo, verifica-se, que já no mandato anterior se vinha notando a falta de imaginação. Neste mandato as dúvidas dissiparam-se, foi um mandato desastroso, sem ideias, sem iniciativa, com divisões entre a vereação e com um timoneiro (Fernando Melo) a querer tomar conta do leme, mas com dificuldades de leitura das coordenadas para levar o concelho a bom porto.

Também da parte do PS, com quatro vereadores em nove, se esperava uma oposição mais incisiva e construtiva. No concelho, o PS politicamente desapareceu e tornou-se numa federação de interesses pessoais.

Valongo, conseguiu depois do 25 de Abril e com a criação do poder autárquico, avanços em alguns sectores - Nem tudo é mau no concelho.

O concelho tem uma rede de saneamento e abastecimento de água que o cobre quase na sua totalidade. No sector da cultura, todas as freguesias estão equipadas com centros culturais e a funcionar, no sector do ambiente, o concelho tem seguido uma política embora tímida mas na direcção certa, tem um museu municipal e biblioteca que honram o concelho, os serviços de higiene e limpeza foram reestruturados. Os SMAS foram até certa altura (enquanto os seus serviços, não foram concessionados) um elemento de grande valia para o concelho.   

Ao analisarmos os vários mandatos, vamos verificar que, onde o concelho deu um salto qualitativo foi nos sectores que atrás referi e que, por coincidência ou não, foram pelouros, outrora geridos pela CDU.

Por isso, não quero deixar de fazer uma referência muito particular e sentida ao Dr. Faria Sampaio (onde ele estiver) e à Dr.ª Eduarda Ferreira, pelos seus contributos prestados ao concelho de Valongo e às suas populações. Também o PCP e a CDU estão gratos pelo prestígio que souberam angariar, para estas formações políticas.

É certo, que os eleitos que me antecederam na Assembleia Municipal, prestaram também um trabalho meritório e que, não posso deixar de lembrar. Espero pois, honrar, com o convite que me foi efectuado, o prestígio que o PCP e a CDU granjearam junto das populações de Valongo.

Não pretendo dar hoje a conhecer o programa e as linhas de orientação, que vão ser sufragadas pela população. O tempo é escasso e há também outros ilustres oradores, que irão dar o seu contributo a esta sessão. Também a construção do programa da CDU para o concelho de Valongo, terá que ter uma discussão mais alargada.

Os problemas do concelho estão definidos e catalogados. Quero no entanto e aproveitando esta oportunidade balizar aquilo que deverá (no meu ponto de vista) ser as linhas mestras do nosso programa de acção.

Valongo é um concelho que tem crescido e não se tem desenvolvido. No que concerne ao seu desenvolvimento sustentado, urbanismo, ambiente, qualidade de vida, equipamentos sociais e desportivos, o concelho sofre de um atraso enorme, quanto aos padrões exigidos.

Não se compreende que o concelho tenha hoje 5.000 habitações a mais, e haja populações ainda a viver em habitações degradadas, ao mesmo tempo assistimos ao derrube de prédios novos, pois o mercado actual não absorve este crescimento desenfreado. Por isso, iremos propor o estudo de uma moratória, para que a construção urbana em Freguesias, como as de Ermesinde e Valongo, seja analisada e, em alguns casos suspensa, enquanto não for aprovada a revisão do PDM. Revisão que queremos aberta e participativa.

Será nossa aposta, a coesão entre as freguesias - um concelho com cinco freguesias, não pode continuar a não interagir entre si. Para isso, propomos a descentralização de alguns serviços municipais pelas freguesias, (o que já acontece com Ermesinde). O melhoramento do transporte público e colectivo no concelho. O lançamento de vias estruturantes entre as freguesias de Valongo e Alfena, Valongo e Ermesinde e entre Sobrado e Campo – (Faço lembrar que estas vias estruturantes, foram bandeiras da gestão de Fernando Melo, mas nunca concretizadas).

O concelho tem algumas potencialidades, que mais nenhum da Área Metropolitana do Porto tem. Valongo tem 55% do património natural de toda a área metropolitana do Porto. Por isso, o futuro de Valongo deve passar também pelo aproveitamento desta riqueza natural. Devem ser dados passos, para uma melhor gestão da floresta e requalificação do sistema hidrográfico. A conservação da biodiversidade, o aproveitamento e dinamização do turismo da natureza, serão medidas para um desenvolvimento sustentado do concelho - Será pois uma das nossas apostas.

Tem também Valongo, 25% do seu território adequado para utilização agrícola. Destes 25% só 11% são utilizados. Iremos incentivar e dinamizar a agricultura familiar e outros tipos de organização.

No campo social e depois da elaboração do Diagnóstico Social do Concelho, efectuado no anterior mandato, tudo o que estava elencado para ser desenvolvido, nada foi executado.

O concelho necessita da criação de creches, infantários, melhor rentabilidade dos centros de dia e de acolhimento. Apoio a famílias carenciadas, melhoramento dos bairros sociais - quanto ao seu parque edificado, bem como o apoio social, que deve ser permanente e adequado. Será uma das nossas preocupações; a melhoria das condições de vida das populações carenciadas.

No campo cultural, embora o concelho se encontra bem equipado de centros culturais, é preciso imprimir outro dinamismo ao seu funcionamento. É preciso pôr os centros culturais ao serviço das várias associações culturais, incentivar a sua participação na gestão e funcionamento.

No campo desportivo, iremos apoiar e incentivar os clubes nas suas actividades e ajudar a requalificação dos seus parques desportivos. A construção de novos equipamentos terá também a nossa atenção.

Caros amigos e camaradas, está na ordem do dia, mais uma entrega a interesses privados, de serviços municipais - estou a referi-me, à entrega total dos serviços de higiene, varredura e recolha de resíduos sólidos. Isto é um escândalo - um contrato de 24 milhões de euros, não pode ser negociado em cima das eleições e comprometer futuros executivos. Evitamos até agora este negócio e esperamos derrotar definitivamente esta pretensão. Será nossa prioridade, a revisão dos serviços entregues a empresas privadas e iremos defender a sua reintegração e municipalização.

No entanto, gostaríamos nós e a população de Valongo, de saber o que pensa o PS de Valongo e o seu candidato, quanto à entrega de serviços municipais a interesses privados.

Por último e revendo o estudo social que foi feito particularmente aos bairros sociais, verifica-se que o concelho de Valongo tem um défice de escolaridade. Reconhecemos, que depois de algumas manifestações populares o executivo PSD despertou para este problema e lançou algumas medidas positivas, que a CDU, quer que sejam consolidadas e reforçadas. No entanto o ensino pré-escolar será uma das nossas prioridades.

Caros amigos e camaradas, estes são alguns sectores que deverão merecer a nossa atenção, outros devem ser objecto de estudo e consideração.

Penso que a análise ao actual estado do concelho, bem como o apontar de objectivos para o futuro, não passa só pela minha visão pessoal. Sei-o também que esta análise poderá ser melhorada, com o vosso contributo e também ouvindo as populações e as forças sociais do concelho.

Julgo que com trabalho poderemos reconquistar o lugar ou lugares que já tivemos na vereação da Câmara de Valongo.

Todos somos precisos para esta missão. Façamos do próximo acto eleitoral autárquico, um acto de mais afirmação da CDU, no concelho e no País.

Vamos trabalhar para que a CDU reforce as suas participações nas freguesias, na assembleia municipal e volte à vereação da Câmara de Valongo.

É Tempo de Novos Tempos

Viva o Concelho de Valongo

Viva a CDU