Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CDU Valongo

Página informativa sobre a atividade da CDU no concelho de Valongo.

REQUERIMENTO - Recivalongo

19.09.19

Vimos, por este meio, requerer que nos sejam prestadas informações sobre as intenções da CM quanto a uma eventual alteração ao PDM, que impeça o alargamento da empresa Recivalongo.

 

Valongo, 16 de setembro de 2019

A CDU – Coligação Democrática Unitária / Valongo

REQUERIMENTO - Antigo Cinema de Ermesinde

19.09.19

Durante a inauguração da Expoval, o Sr. Presidente da Câmara anunciou que pretendia efetuar a compra do edifício do antigo cinema de Ermesinde para proceder à sua reabilitação.

Sabendo que o edifício pertence a uma associação local, como pode o presidente da CM prometer que o edifício será em breve recuperado?

Quais foram os passos dados no sentido da compra e recuperação do edifício, que permitiu ao presidente da CM publicamente assumir esse compromisso?

 

Valongo, 16 de setembro de 2019

A CDU – Coligação Democrática Unitária / Valongo

Recomendação - Centro de Saúde de Campo

19.09.19

O centro de saúde de Campo abriu em julho de 2019 e veio dar resposta as justas reivindicações da população de Campo.

Agora, é necessário tudo fazer para permitir que o acesso ao centro de saúde seja facilitado, sobretudo para os utentes com dificuldades de mobilidade.

Por isso, recomendamos que Câmara Municipal estude uma solução que facilite o acesso ao centro de saúde, tanto através da construção de passeios na N209, como da negociação com os operadores de transportes públicos.

Valongo, 16 de setembro de 2019

A CDU – Coligação Democrática Unitária / Valongo

Lutas e tradições de Valongo presentes em mais uma edição da Festa do Avante!

03.09.19

A Festa do Avante! é o maior acontecimento político-cultural do país, com um amplo e diversificado programa nas áreas da música, do teatro, do desporto, do cinema, das artes plásticas, da gastronomia, entre muitas outras expressões que marcam a vida do povo português e dos povos em luta.

 

A Organização Regional do Porto do PCP estará presente na Festa do Avante! afirmando aqueles que foram os avanços alcançados nesta legislatura e, com redobrada confiança, reafirmando as propostas do PCP e da CDU para o desenvolvimento de uma região com enormes potencialidades.

 

Valorizar o que a população do distrito ganhou, com a acção e a intervenção do PCP, de que são exemplos os passes sociais, a reversão da privatização de importantes serviços públicos, o aumento dos salários e das pensões num dos distritos que apresenta os mais altos níveis de pobreza, os manuais escolares gratuitos, entre muitas outras conquistas, são elementos que dão ânimo e esperança à luta por novas conquistas quando num passado bem recente dominavam as teorias das inevitabilidades da perda dos direitos e dos rendimentos.

 

E se afirmar o que foi conquistado não é aspecto menor, reafirmar o que muito há a fazer para melhorar as condições das populações estará em destaque este ano na Festa do Avante!

 

Avançar em melhores serviços públicos, nomeadamente com a construção da nova ala pediátrica do hospital de S. João e do novo hospital do Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde ou a recuperação para a esfera pública do Hospital de Santo Tirso, com melhores condições materiais e humanas nas escolas e na saúde; Avançar no desenvolvimento económico da região, aproveitando as suas potencialidades produtivas, a floresta, o mar, o seu imenso património cultural; Avançar nas políticas públicas de habitação, garantido o direito à mesma; Avançar nos transportes, garantindo o alargamento do passe único, um programa de investimento no sector dos transportes, a STCP como operador público da Área Metropolitana, o alargamento do Metro a Gondomar e à Trofa e a concretização da Linha Ermesinde-Leixões; Avançar com a Regionalização e um verdadeiro processo de descentralização, a reposição das freguesias e um desenvolvimento harmonioso entre o litoral e o interior.

 

No espaço da Organização Regional do Porto não faltarão as tradições gastronómicas e culturais de cada um dos concelhos, a animação, o debate, sendo a Festa do Avante! a grande iniciativa em que a cultura e a política se juntam como em nenhum outro espaço.

 

A Organização Concelhia de Valongo estará presente com um stand próprio, envolvendo dezenas de membros e amigos do Partido, divulgando as lutas e as tradições do seu concelho, a intervenção do PCP e da CDU, bem como a sua gastronomia, com Arroz de legumes com panados ou pataniscas à “Ti coiso”, Sopa à Mineiro, Salgados, Vinhos regionais, Crepes e Pipocas.

 

A EP - Entrada Permanente na Festa do Avante comprada antes de 5 de Setembro tem o custo de apenas 26€. A Organização Concelhia de Valongo do PCP está a promover excursões com saída no dia 6 pelas 9h e regresso no final da Festa, dia 8, com dormida em hotel e EP incluídos. Para qualquer esclarecimento ou inscrição contactar 965858924 ou 936256572.

 

Para conhecer melhor o programa da edição deste ano da Festa do Avante recomenda-se a consulta do sítio de internet www.festadoavante.pcp.pt.

 

Valongo, 21 de Agosto de 2019

 

A Comissão Concelhia de Valongo do PCP

Governo e Câmaras da AMP agendam assinatura de memorando sobre STCP NAS COSTAS DOS TRABALHADORES, DOS ELEITOS AUTÁRQUICOS, DOS UTENTES E DAS POPULAÇÕES

28.08.19

Após a reversão da privatização da STCP criaram-se condições para afirmar o operador público e consolidá-lo no plano metropolitano. Uma estratégia de priorizar a empresa pública que implicaria:

  • Impedir que os operadores privados prosseguissem com a ilegalidade de fazer serviços na zona exclusiva da STCP ou sobreporem as suas carreiras aos percursos mais rentáveis da STCP.
  • Definir a STCP como operador interno, definindo um calendário para o progressivo alargamento do serviço nos seis concelhos onde opera, gerindo toda a rede, administrando directamente o que conseguir, contratando o remanescente e garantindo a todas as populações um serviço equilibrado e de qualidade.

 

Esta estratégia teria que ser considerada em termos metropolitanos, envolvendo e responsabilizando todos os concelhos da mesma forma.

Mas a opção do governo e dos autarcas da Área Metropolitana do Porto foi diferente. Em discussões de gabinete definiram um “memorando de entendimento” para a intermuniciaplização da STCP sem envolvimento dos órgãos autárquicos e recusando o envolvimento dos trabalhadores da empresa no processo.

O resultado deste processo só poderia ser mau. Mau para a empresa e mau para as populações, embora tenhamos que reconhecer que pode ser vantajoso para os lucros dos operadores privados.

O “memorando de entendimento” entre o governo e os seis concelhos do grande Porto tem como elementos mais marcantes:

  • Uma visão de redução da STCP a empresa do concelho do Porto e apenas com algumas ligações a concelhos limítrofes;
  • Não salvaguarda sequer que, nas ligações do Porto aos concelhos limítrofes, os privados deixam de fazer sobreposição de serviço;
  • Nada diz sobre as centenas de milhares de euros que há vários anos os privados acumulam de serviços que prestam em zona exclusiva da STCP;
  • Cria um contexto que poderá favorecer situações de sobreposição entre linhas STCP e privados que darão a prazo prejuízos que serão assumidos pelos municípios;
  • Impossibilidade real de aumento da rede STCP porque está a ser preparado um concurso para adjudicação das linhas fora do concelho do Porto aos operadores privados;
  • Não salvaguarda o envolvimento do Governo em futuros investimentos mais significativos para os quais os municípios não têm capacidade financeira, como será o caso da renovação de frota.

 

Não deixa de ser bem revelador da situação que este memorando seja assinado a 3 dias da entrada de funções do novo presidente do Conselho de Administração da STCP. É, portanto, um presidente demissionário que vai assinar o memorando. Um presidente que se demitiu por haver privados a fazerem serviço exclusivo da STCP, que agora assina um memorando que nada diz sobre o problema nem aponta caminhos para ressarcir a STCP desses prejuízos.

 

Importa ainda salientar que, por iniciativa do Grupo Parlamentar do PCP, foi promovida uma Apreciação Parlamentar que plasmou nos Estatutos da empresa que “A actividade de transporte público rodoviário de passageiros no Grande Porto, exercida pela STCP S.A., não pode ser transmitida ou subconcessionada a outras entidades que não sejam de direito público ou capitais exclusivamente públicos.”

Contudo, o “memorando de entendimento” que Governo e Câmaras querem assinar é omisso quanto ao modelo de gestão futuro, esquecendo a salvaguarda do carácter público da empresa e a necessidade da sua garantia pelo Estado para além de 2023, nos termos do DL 82/2016 (alterado pela Lei 103/17).

 

A DORP do PCP considera ainda inaceitável que se proceda à assinatura deste acordo sem uma discussão prévia nas Câmaras e nas Assembleias Municipais. Os órgãos autárquicos e os seus eleitos não são figuras decorativas, têm o direito a participar na construção de soluções para as populações, um direito do qual nós não abdicamos.

 

A DORP do PCP considera que há ainda há tempo para corrigir estes erros. Os concursos ainda não foram lançados. Este é o tempo de defender a STCP, a consolidação da empresa, e o direito das populações servidas por esta empresa a um serviço público de transportes de qualidade.

Por essa razão, demos já conhecimento deste posicionamento a todos os seis presidentes de Câmara e de Assembleias Municipais, solicitando a desmarcação da assinatura do memorando e solicitando uma discussão sobre o papel futuro da STCP na AMP que envolva as assembleias municipais, os trabalhadores e seus representantes, utentes e populações.

 

 

Porto, 27 de Agosto de 2019

A DORP do PCP

Requerimento - Saneamento

05.07.19

Em 2005 a taxa de cobertura de saneamento no concelho de Valongo era de 95%, já em 2014 os relatórios afirmam que a taxa de cobertura é de 98%, estando assim apenas 2% do concelho por cobrir. Apesar destes valores serem positivos, a ambição da Câmara deve ser o de cobrir a totalidade do concelho e para tal é necessário que a empresa concecionária faça os investimentos necessário para que se atinja esse objetivo.

Vários são os casos existentes de ruas sem saneamento. Salientamos, porém, a situação de parte da Rua de Ferreira em Sobrado, que não tem cobertura de saneamento. Tem a CM conhecimento desta situação? Pretende a CM dar alguma indicação à empresa concessionária que leve à resolução deste problema?

Valongo, 29 de junho de 2019

A CDU – Coligação Democrática Unitária / Valongo

Recomendação - Pavimentação da rua sem nome, que liga Campo a Sobrado por Além do Rio — Lomba

04.07.19

De mandato para mandato, de ano para ano e de promessa em promessa para acabar com as ruas em terra batida, a rua que liga Campo a Sobrado por Além do Rio à Lomba continua a não ser alvo de qualquer intervenção por parte da Câmara.

Apesar da importância desta via, que liga duas freguesias do concelho a CM não resolve o problema.

Assim, a CDU recomenda que a Câmara Municipal de Valongo, o mais breve possível, efetue a pavimentação da via.

 

Valongo, 29 de junho de 2019

A CDU – Coligação Democrática Unitária / Valongo

Assembleia de Freguesia - RECOMENDAÇÃO - Rua Central das Vinhas

03.07.19

Os passageiros que desembarquem nos comboios da Linha do Douro e que necessitem de circular na berma direita da rua Central das Vinhas, no sentido Vinhas-Capela, assim como todos os peões que após o viaduto circulem nesse sentido, têm de o fazer em terra batida, o que em tempo de chuva se transforma em lama o que obriga as pessoas nesse espaço a virem para cima da estrada e daí os riscos inerentes.

E que em tempo seco, é coberto de ervas que mais parecem arbustos misturados com silvas, obrigando as pessoas a terem de vir para cima da estrada e correr os mesmos riscos.

Acrescenta-se que do lado esquerdo e no mesmo sentido, nem esse espaço que deveria ser passeio existe.

Perante este estado da situação, a CDU recomenda.

Que a Junta de Freguesia mande limpar com urgência aquele espaço; e que diligencia no sentido da sua pavimentação.

 

Campo, 28/6/2019