03
Mar 16

Esta revisão orçamental é feita para permitir a inclusão na Loja do cidadão de Valongo, no Edifício Faria Sampaio, em Ermesinde, um terminal de pagamento automático e a sua vigilância através da contratação de uma empresa especializada para o efeito.

A primeira questão que colocamos, refere-se às dúvidas que temos sobre a necessidade deste serviço. Sobretudo quando os diversos serviços abertos ao público em Ermesinde não têm este tipo de segurança e não são conhecidos problemas de desacato à ordem pública, que não tenham sido rapidamente solucionados com a intervenção dos agentes da autoridade. Mas se esta necessidade é realmente premente, porque não foi acautelada no contrato de cedência do espaço? Terá sido tido em conta esta despesa quando foi estipulado o valor de arrendamento do espaço?

 Mas, o ponto essencial que nos fez votar contra esta revisão é não entendermos o porquê desta vigilância não ser realizada por funcionários da CM. Com 25 mil euros, era possível pagar generosamente 2 funcionários que fizessem este serviço, sobretudo quando já existem funcionários da CM com a função de ronda/vigilância dos edifícios. Será este o início da  extinção e privatização destes serviços na CM?

 

 

Valongo, 29 de fevereiro de 2016

A Coligação Democrática Unitária

.: cduvalongo às 16:12

ELEITOS
Assembleia Municipal
Campo & Sobrado
Ermesinde
Valongo
pesquisar neste blog
 
Março 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
30
31