19
Mai 17

Em artigos para o Verdadeiro Olhar, o responsável do PS na Câmara de Valongo por essa tarefa tem dedicado grande parte dos seus artigos a analisar e a denegrir o trabalho da CDU na vereação.

Depois de várias vezes classificar a CDU como muleta do PSD, ou acusar a CDU de fazer fretes a este partido, o articulista decidiu ir mais longe e, num dos seus últimos artigos, classificou as atitudes da CDU na Câmara, de puro terrorismo político.

Em determinado artigo chega até a fazer a seguinte e provocadora insinuação: «A sintonia entre eles (PSD e CDU) é tal que parece que preparam as reuniões em conjunto».

Depois de, num destes artigos, em forma de pergunta e perante algumas posições do PS, que tem tido votações coligadas com o PSD contra o voto da CDU, e já lhe ter sido devolvida a acusação, “de que afinal quem é muleta de quem? O PSD do PS ou o PS do PSD?”

A discussão sobre a 2.ª Revisão do Orçamento e 2.ª Revisão das Grandes Opções do Plano do ano de 2017 proporcionou mais uma oportunidade de, como em tantas e tantas vezes, o voto independente da CDU ter o sentido coincidente com o voto do PS.

Pois uma vez que, como é sabido, o PS não tem maioria absoluta, foi graças ao voto da CDU que esta 2.ª Revisão foi viabilizada.

Assim sendo, ao articulista do PS (se fosse politicamente honesto) uma de duas tomadas de posição se impunham: repor a verdade sobre o verdadeiro desempenho do Vereador da CDU na Câmara de Valongo, que pela sua independência não está lá para fazer o frete a ninguém (PS incluído), nem para escrever artigos a mando de alguém! Ou então explicar muito bem, como é que o PS na Câmara de Valongo (em várias votações, como nesta decisão de viabilizar esta Revisão) se junta a alguém (CDU) que o próprio PS (pela caneta do seu articulista) classifica de praticante de atitudes de puro terrorismo político?

É que como segundo o conhecido provérbio: junta-te aos bons, que serás tão bom como eles (será este o caso?) ou junta-te aos maus, que serás ainda pior do que eles (ou este?).

Desfecho do processo da 2ª Revisão do Orçamento e 2ª Revisão das Grandes Opções do Plano do ano de 2017

Depois da vergonhosa operação de, por parte do PS, fazer destas Revisões a triste figura que fez, a CDU, empenhada como esteve desde o início em que este processo tivesse um desfecho com a dignidade inerente. Por sua parte na Câmara, encerrou o mesmo com uma declaração de voto de que aqui ficam alguns excertos:

O aumento do subsídio mensal para as Corporações de Bombeiros com retroactividade ao início do ano de 2017; a urgente solução para as respostas no campo da Educação; a reposição da iluminação pública em todo o Concelho, suspensa em parte, há alguns anos atrás; o grande passo para o início da construção de um novo edifício para a Junta de Freguesia de Alfena; (principal proposta e exigência da CDU) o primeiro sinal de reconhecimento de inexistência de uma Piscina que sirva as populações de Campo e Sobrado; são alguns dos aspectos positivos desta Revisão Orçamental, não contemplados na 1ª Versão (rejeitada) e só possíveis, graças à exigência da oposição, que não podemos deixar de assinalar.

Pena foi, que uma oportunidade como esta, que deveria ter contribuído para reforçar os laços de união de um Executivo tripartido, responsável por todos os resultados, quer positivos, quer negativos, obtidos ao longo deste mandato, tivesse sido transformada na maior operação demagógica, eleiçoeira e oportunista, levada a cabo por diversos membros deste Executivo do PS em permanência.

Pois em vez de que com esforços, procurar entendimentos e contribuições da maioria dos vereadores.

Numa conduta a todos os títulos reprovável, alguns membros do Executivo do PS em permanência, achincalhando, mentindo, reforçando o descrédito das gestões autárquicas no Concelho de Valongo, que sempre partilharam ao longo dos últimos anos e desde o 25 de Abril.

Fugindo à discussão e fingindo ter maioria absoluta. (quando é assim sem a ter, o que não seria se a tivesse?)

Preferiram armarem-se em vítimas, telefonando para aqui e para acolá, para dizerem que receberam telefonemas de acolá e daqui; rejeitando todos os esforços de cooperação demonstrados pela oposição e algumas juntas de Freguesia; arrastando para a praça pública, aquilo que só em sede própria, tinha e como não podia deixar de ser, discutido e solucionado.

Esta vergonhosa operação acabou por prejudicar a discussão de tão importante assunto (e por consequência, prejudicar todos os valonguenses).

E porque era necessário desmontar tão vergonhoso processo.

Apesar do prejuízo da falta de uma mais profunda discussão, gravidade minimamente atenuada pela permanente disponibilidade da CDU para o diálogo e de algumas propostas suas incluídas na 2ª versão da Revisão Orçamental para o ano de 2017.

A CDU absteve-se.

 

*Artigo de opinião do vereador Adriano Ribeiro no jornal Verdadeiro Olhar

.: cduvalongo às 08:35

Esta Revisão Orçamental, com a disponibilidade financeira de cerca de 4 milhões de euros, vem permitir que se resolvam alguns problemas que se arrastam há anos e que não estavam contemplados na primeira proposta chumbada pela CM, tais como:

  • o aumento do subsídio mensal para as Cooperações de Bombeiros com retroatividade ao início do ano de 2017;
  • a urgente solução para os problemas da educação no concelho;
  • a reposição da iluminação pública em todo o concelho;
  • o grande passo para o início da construção de um novo edifício para a Junta de Freguesia de Alfena;
  • o primeiro sinal de reconhecimento da inexistência de uma piscina que sirva as populações de Campo e Sobrado;

 

Pena foi que, uma oportunidade como esta, que deveria ter contribuído para reforçar os laços de união de um executivo tripartido, responsável por todos os resultados, quer positivos, quer negativos obtidos ao longo deste mandato, tivesse sido transformada na maior operação demagógica, eleiçoeira e oportunista, levada a cabo por diversos membros do executivo que têm pelouros atribuídos.

 

Numa conduta a todos os títulos reprovável, alguns membros do executivo em permanência, achincalharam, mentiram e reforçaram o descrédito da gestão autárquica do concelho de Valongo. Gestão da qual sempre fizeram parte desde o 25 de Abril.  Optaram por um caminho questionável, em vez de encetarem esforços na procura de entendimentos e de contribuições dos restantes membros do executivo. Fugiram à discussão, fingindo que tinham maioria absoluta. Preferiram armarem-se em vítimas, telefonando para aqui e para acolá, rejeitando todos os esforços de cooperação demonstrados pela CDU e algumas Juntas de Freguesia, arrastando para a praça pública, aquilo que só em sede própria tinha obrigatoriamente de ser discutido e solucionado.

 

Esta vergonhosa operação acabou por prejudicar a discussão de tão importante assunto.

 

Apesar de achincalhados em praça pública, com mentiras e calúnias, a CDU sempre esteve disponível para o diálogo e para encontrar consensos, mesmo com aqueles que nos maltrataram, porque acima de qualquer coisa, para nós estão os valonguenses e são estes que nós temos de respeitar, solucionando os seus problemas e as suas preocupações.

 

A CDU na Câmara, responsavelmente, com a abstenção, viabilizou a 2ª Revisão do Orçamento e 2ª Revisão das grandes Opções do Plano do Ano de 2017.

 

Mas, o comportamento nestes últimos tempos do PS obriga-nos a ter cuidados redobrados. Já compreendemos que não se importam de sacrificar a resolução dos problemas que todos os dias os valonguenses vivem, por mais um quinhão de votos que os possam fazer vencer as eleições com maioria absoluta.

 

Como forma de garantirmos que esta revisão é aprovada e que com ela parte dos problemas do concelho possam ser resolvidos e tendo em conta que cumprimos com a nossa palavra perante instituições cuja sanidade financeira desta revisão dependem, iremos garantir que este documento é aprovado, votando favoravelmente.

 

18 de Maio de 2017

A CDU Valongo

.: cduvalongo às 08:34

16
Mai 17

apresentacaoCampoSobrado.jpg

 

.: cduvalongo às 20:37

12
Mai 17

Esta Revisão Orçamental com a disponibilidade financeira de 3,864,458,19 Euros ora verificada, vem permitir para este ano, dar inicio à possibilidade de solução de alguns problemas que se arrastam há anos.

O aumento do subsidio mensal para as Corporações de Bombeiros com retroactividade ao inicio do ano de 2017; a urgente solução para as respostas no campo da Educação; a reposição da iluminação pública em todo o Concelho, suspensa em parte, há alguns anos atrás; o grande passo para o inicio da Construção de um novo edifício para a Junta de Freguesia de Alfena; o primeiro sinal de reconhecimento de inexistência de uma Piscina que sirva as populações de Campo e Sobrado; são alguns dos aspectos positivos desta Revisão Orçamental, não contemplados na 1ª versão rejeitada, que não podemos deixar de assinalar.

Pena foi, que uma oportunidade como esta, que deveria ter contribuído para reforçar os laços de união de um Executivo tripartido, responsável por todos os resultados, quer positivos, quer negativos obtidos ao longo deste mandato, tivesse sido transformada na maior operação demagógica, eleiçoeira e oportunista, levada a cabo por diversos membros deste Executivo em permanência.

Pois em vez de que com esforços, procurar entendimentos e contribuições da maioria dos Vereadores da Câmara. 

Numa conduta a todos os títulos reprovável, alguns membros do Executivo em permanência, achincalhando, mentindo, reforçando o descrédito das gestões autárquicas no Concelho de Valongo, que sempre partilharam ao longo dos últimos anos e desde o 25 de Abril. 

Fugindo à discussão e fingindo ter maioria absoluta.

Preferiram armarem-se em vitimas, telefonando para aqui e para acolá, para dizer que receberam telefonemas de acolá e daqui; rejeitando todos os esforços de cooperação demonstrados pela oposição e algumas Juntas de Freguesia; arrastando para a praça pública, aquilo que só em sede própria, tinha e como não podia deixar de ser, discutido e solucionado.

Esta vergonhosa operação, acabou por prejudicar a discussão de tão importante assunto.

E porque era necessário desmontar tão vergonhoso processo.

Apesar do prejuízo da falta de uma mais profunda discussão, gravidade minimamente atenuada pela permanente disponibilidade da CDU para o diálogo.

A CDU vai abster-se na 2ª Revisão do Orçamento e 2ª Revisão das grandes Opções do Plano do Ano de 2017.

 

.: cduvalongo às 15:27

09
Mai 17

De leitura e análise da Carta das Instalações Desportivas Artificiais do Concelho de Valongo e do Plano Estratégico de Desenvolvimento Desportivo 2021 – Município de Valongo, documentos em apreciação e votação na presente reunião da Assembleia Municipal, a CDU destaca alguns aspetos de relevo, a saber:

- os baixos níveis de superfície de área desportiva útil por habitante, que colocam o concelho de Valongo num patamar considerado “fraco” pelo Conselho da Europa e pela Unesco;

- a inexistência ou insuficiência de equipamentos de tipologias consideradas relevantes por estas mesmas entidades;

- o facto de uma maioria significativa dos equipamentos e instalações desportivas do concelho serem de propriedade privada/associativa, estando por isso potencialmente interditos a uma sua utilização generalizada pela população do concelho;

- a circunstância de os equipamentos e instalações desportivas existentes nem sempre corresponderem às necessidades das modalidades com maior tradição e implantação no concelho.

Estes são alguns dos mais relevantes aspetos de um diagnóstico da realidade desportiva do concelho de Valongo que urgia realizar. Neste sentido, a CDU saúda a disponibilização deste instrumento de leitura do território concelhio e sublinha a relevância da criação e publicação pela Câmara Municipal de Valongo de um Plano Estratégico sobre este domínio da realidade.

Considerando, porém:

- as fortes debilidades destacadas pela Carta e Plano mencionados, que obrigariam a investimentos mais intensos e de mais longo prazo;

- que a metodologia de elaboração da Carta, que fundamenta as opções essenciais do Plano, considera todos os equipamentos existentes, públicos e privados, dessa forma ilidindo lacunas da ação municipal, que deveria ser central para confrontar as debilidades existentes;

- que diversos equipamentos e instalações desportivas municipais – designadamente grandes campos de jogos e pavilhões – têm, na prática, a sua utilização pública muito condicionada pelo facto de estarem ao serviço de atividades de desporto federado/de competição;

- que o Plano Estratégico não especifica diversas informações relevantes sobre as principais propostas do documento, designadamente quanto a localização das novas  infraestruturas e equipamentos previstos;

a CDU abstém-se na votação destes dois documentos.

Valongo, 27 de abril de 2017

Os eleitos da CDU

.: cduvalongo às 11:57

O Grupo Municipal da CDU vem recomendar à Câmara Municipal de Valongo a cedência à Junta de Freguesia de Alfena das instalações da antiga Escola Básica com Jardim de Infância do Xisto, considerando, por um lado, que o referido espaço se encontra devoluto - espaço este construído com dinheiro públicos e que deve por isso mesmo servir os cidadãos - e, por outro lado, a necessidade manifestada pela Junta de Freguesia de possuir um espaço para centralização do seu arquivo documental e respetiva gestão, bem como para desenvolvimento de todo um conjunto de atividades nas áreas da formação, de apoio ao empreendedorismo, de apoio social à população com menos recursos e de apoio à dinamização cultural.

Estamos convictos de que numa freguesia com um número de habitantes tão significativo como a de Alfena, situada num concelho onde persistem indicadores de desigualdades com alguma expressão, se torna necessária a prossecução do esforço de disponibilização de mais e melhores equipamentos e serviços públicos à população.

 

 

Valongo, 27 de abril de 2017

A Coligação Democrática Unitária

.: cduvalongo às 11:56

04
Mai 17

O Partido Socialista em Alfena distribuiu no dia 21 de Abril, um comunicado referente a uma reunião de Câmara realizada no dia 20. De falta de rapidez na resposta a comunicados, ninguém pode acusar o PS de Alfena. E refere-se o comunicado ao boicote da CDU, ao trabalho do PS na Câmara de Valongo. Diz o comunicado e passo a citar:

Para além de ter conseguido, pela primeira vez em 10 anos, (a CDU esteve ausente do Executivo camarário 16 anos) reduzir o endividamento da Câmara Municipal para um valor inferior ao limite legal da divida e de ter reduzido prazo médio de pagamentos para 5 dias, este Executivo (onde a CDU passou a estar representada desde 2013) tem assumido uma relação de transparência, proximidade e prestação de contas com os cidadãos. Esta Câmara Municipal investiu mais em Alfena durante os últimos três anos e meio do que o anterior Executivo do PSD (onde o PS sempre esteve incluído) em todo o mandato, em obras importantes entre as quais:

O espaço multiusos no valor de 212 mil Euros, que permitiu a Alfena ter uma feira semanal;

O campo de treinos do Alfenense com um investimento de 100 mil Euros (graças à CDU, porque por parte do PS não passava dos 90 mil e a candidatura ficava em risco) que permitiu garantir um financiamento comunitário e assim melhorar a oferta de formação desportiva do clube;

A requalificação da Rua de Cabeda, que há tantos anos necessitava de obras para garantir as condições de segurança;

A transformação da antiga escola de Cabeda (Por proposta da CDU aprovada) numa Plataforma Solidária que veio melhorar a resposta social na freguesia;

A conclusão da Revisão do PDM (após 15 anos) que permitiu trazer a Jerónimo Martins para Alfena, naquele que é o maior investimento privado de sempre do concelho;

A abertura de um espaço do Cidadão no Centro Cultural, para garantir que nenhum Alfenense tem de sair da sua freguesia para tratar de qualquer assunto com a Câmara Municipal;

A assinatura do contrato com a ARS Norte para a construção do tão desejado centro de saúde, que arrancará este ano;

A reabilitação da Levada do Cabo nas margens do Rio Leça, em parceria com a Freguesia;

As intervenções de manutenção e requalificação em diversas ruas e escolas do 1º Ciclo na freguesia;

A candidatura a fundos comunitários da Oficina do Brinquedo Tradicional Português, o maior projecto cultural alguma vez feito em Alfena e que arrancará no final deste ano, num investimento de 1,7 milhões de euros;

A criação e financiamento a 100% da Festa do Brinquedo, um dos maiores eventos culturais do concelho.

Terminam os Socialistas de Alfena, em nome da sua terra e para benefício de todos os Alfenenses, com um apelo à CDU para demonstrar a nossa solidariedade: solidariedade? Mas solidariedade com quê?

Quais foram as medidas atrás descritas, que não tiveram o apoio da CDU? Digam-no para que toda a gente fique a saber.

Só não falam os socialistas de Alfena, na oportunidade que se pode perder, de Alfena, apesar de ter mais população que outras duas juntas de freguesia do concelho juntas; poder deixar de ter o edifício da junta de freguesia mais «pobre» do concelho de Valongo.

Se calhar até foi por esquecimento que não falaram nisso.

 

* Artigo de Opinião no Jornal Verdadeiro Olhar

.: cduvalongo às 08:20

image_2017-05-04_07-19-18.png

 

PROJEÇÃO DO FILME "OUTUBRO" DE SERGEI EISENSTEIN E GRIGORI ALEXANDROV (1927)
 
SEGUIDO DE DEBATE MODERADO POR JORGE SARABANDO
 
SEXTA-FEIRA. 5 DE MAIO, 21:30 HORAS
 
CENTRO DE TRABALHO DE ERMESINDE DO PCP
(Rua Almeida Garrett, 165)
ENTRADA LIVRE
.: cduvalongo às 08:18

ELEITOS
Assembleia Municipal
Campo & Sobrado
Ermesinde
Valongo
pesquisar neste blog
 
Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
17
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31